16/10/2018

Estilista Vincenzo Visciglia faz sucesso vestindo famosas muçulmanas

Estilista Vincenzo Visciglia faz sucesso vestindo famosas muçulmanas
Você já ouviu falar no estilista brasileiro Vincenzo Visciglia? Nascido no interior de São Paulo e formado em arquitetura, ele saiu do país para estudar e acabou indo trabalhar em Dubai. Com o slogan ‘arquitetura para o corpo’, o brasileiro criou uma grife luxuosa com o sócio libanês Ahmad Ammar. Em entrevista exclusiva, ele conta sua trajetória.

Quando pensamos no estilo de mulheres muçulmanas, logo imaginamos vestimentas próprias da religião como véus e burcas, mas poucos sabem que, por baixo dessas peças, existem fashionistas que estão atualizadas de tudo que há de mais luxuoso no mundo da moda. Foi isso que Vincenzo Visciglia, arquiteto e estilista brasileiro, descobriu quando criou uma das principais marcas de alta costura do Oriente Médio e foi eleito uma das personalidades mais influentes do Emirados Árabes em 2018 por uma das publicações mais prestigiadas da região, a “Ahlan!”. Natural de Tatuí, interior de São Paulo, o estilista conta com exclusividade como é vestir as irmãs Abdel Aziz, consideradas as Kardashians muçulmanas, e quais famosas brasileiras lhe despertam interesse para uma parceria futura.

DA ARQUITETURA PARA A MODA: ‘O FIM DE SEMANA SE TORNOU MESES’

Após se formar em Miami, Vincenzo foi encontrar um amigo que estava trabalhando em Dubai. “Fui visitá-lo e ver como funcionava a arquitetura lá. Fui com 300 dólares no bolso e uma mala para passar o fim de semana”, diz o estilista ao acrescentar: “Visitando o escritório, acabei sendo abordado por um dos chefes, que ficou curioso sobre meu trabalho de arquiteto. O que era só um fim de semana se tornou meses e praticamente até hoje não voltei para buscar minha mudança.” A ideia de se jogar na indústria da moda veio um pouco depois em 2014, junto com o engenheiro civil libanês Ahmad Ammar. “Entre nossos trabalhos de arquitetura e engenharia, saiu a ideia de fazer uma marca de roupas baseada nas nossas ferramentas de arquitetura, usando o que dominamos e aplicando na moda”, aponta o brasileiro ao continuar: “No começo era uma ideia de camisetas masculinas descoladas, mas é engraçado que isso nunca chegou a se concretizar. Usando as ferramentas de construção digital chegamos a conclusão de que podíamos fazer ‘arquitetura para o corpo’.”

AAVVA FASHION: ‘CRIAMOS A ALTA COSTURA PARA O DIA A DIA’

A grife luxuosa líbano-brasileira fez sucesso pela sua proposta diferenciada. “Acreditamos que nossa marca ia se diferenciar ao trazer uma proposta completamente fora do que estão acostumados”, opina o arquiteto. Quando são da coleção ready-to-wear, os vestidos começam na casa dos 7 mil euros, mas podem ultrapassar os 60 mil euros quando são feitos sob medida. “As mulheres árabes não querem saber de preços baixos, pois é pelo valor que avaliam a qualidade e medem o grau de exclusividade das peças que estão comprando”, comenta o estilista ao concluir: “Criamos a alta costura para o dia a dia. O mais importante é que a mulher precisa se sentir bem consigo mesma e com suas crenças.” Assim como Virgil Abloh, Vincenzo apostou na exclusividade de suas criações, o que é levado muito a sério pelas mulheres da região, já que em alguns casos elas não contam nem o nome da marca que estão usando para ter peças únicas. Mas o desafio de ter que associar moda com religião chama a atenção: “Algumas têm que cobrir os ombros, ou vestirem peças mais largas para não mostrar a forma do corpo, mas também temos que pensar nas mulheres mais modernas que, nos eventos só para elas, usam decotes e fendas sem problema nenhum.” Em muitos casos, os estilistas não podem nem mesmo tirar as medidas das clientes: “Não podemos vê-las sem os véus, então uma de nossas costureiras tira as medidas e realiza os ajustes. Não vemos o resultado final nelas.”

VESTINDO AS FAMOSAS: ‘MARINA RUY BARBOSA E BRUNA MARQUEZINE’

Além de serem responsáveis pelos looks das irmãs Abdel Aziz, os sócios escolheram a modelo Rhea Jacobs como embaixadora da grife. “Ela parece uma boneca de porcelana e tem uma personalidade muito linda. É super conservadora, mas ao mesmo tempo fashion. Para ela sempre fazemos looks mais dramáticos e menos reveladores, devido o mercado que ela se encaixou que é o de beleza”, explica o arquiteto ao revelar o estilo das Kardashians muçulmanas: “Elas são mais ícones de moda e com elas já usamos todos os looks high fashion. Adoram mostrar o corpo e, quanto mais ousados, mais ficam à vontade. Elas têm um gosto bem parecido e são muito modernas.” Apesar de ainda não ter chegado no Brasil, Vincenzo demonstra interesse em trazer suas criações para sua terra natal e vestir algumas brasileiras. “Estamos estudando a entrada da marca no Brasil, mas vamos adaptar para o mercado na questão socio-ecônomica e editar as coleções”, esclarece o estilita ao citar nomes de famosas que gostaria de trabalhar: “Acredito que Marina Ruy Barbosa, Bruna Marquezine, Camila Queiroz, Grazi Massafera, Sophie Charlotte, Sabrina Sato e outras.”

Divulgação, Assessoria Vira Comunicação

Este slideshow necessita de JavaScript.