Turismo favorece o desenvolvimento econômico sustentável



Turismo favorece o desenvolvimento econômico sustentávelPublicado por Parceiro Dino em 3 dez, 2019 - 16:33 -

São Paulo – SP 3/12/2019 – Dados preliminares apontam que a entrada de turistas americanos, canadenses e australianos no Brasil cresceu 25% comparado com o mesmo período de 2018.

Dotado de paisagens singulares e uma rica cultura, o Brasil atrai cada vez mais visitantes estrangeiros em busca de diferentes experiências inesquecíveis. “Vigente desde 17 de junho de 2019, a facilitação de vistos tem se mostrado uma importante iniciativa para aumentar a presença do país no cenário internacional de viagens”, salienta Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News & Negócios (www.revistaecotour.news).

Em setembro de 2017, a China firmou um acordo para a facilitação de vistos com o Brasil. O acerto definiu um prazo de validade de cinco anos às autorizações de turismo, permitindo múltiplas entradas e um período de estada de 90 dias, renováveis por até outros 90, a cada 12 meses. Antes do acordo, cujas regras começaram a valer no dia 1º de outubro do ano passado, o visto geralmente era aceito por três meses.
Já em maio de 2018, o governo brasileiro e a China Travel Service, maior operadora de turismo daquele país, acertaram uma parceria inédita para a estruturação de roteiros customizados, que ampliem a presença dos asiáticos no Brasil.

A China é um dos países que mais emitem turistas para o mundo. Hoje, dos mais de 141 milhões de chineses que viajam todo ano, cerca de 60 mil escolhem o Brasil como destino, tendo como principais motivações o turismo de negócios e o ecoturismo. Dados do Perfil da Demanda Turística Internacional, do Ministério do Turismo, mostram que os chineses movimentam, por dia, cerca de US$ 65. “Destinos como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Foz do Iguaçu (PR) e Manaus (AM) são alguns dos mais visitados por eles”, relata Vininha F. Carvalho.

Em setembro deste ano, os turistas estrangeiros deixaram mais dinheiro no Brasil do que no mesmo mês do ano passado. De acordo com dados do Banco Central, o montante foi 4,86% superior ao registrado em igual período de 2018, totalizando US$ 391 milhões – uma movimentação extra de US$ 18 milhões na economia dos destinos visitados.

Dados preliminares apontam que a entrada de turistas americanos, canadenses e australianos no Brasil cresceu 25% comparado com o mesmo período de 2018. Destaque para os Estados Unidos, maior emissor dentre os contemplados pela isenção, que apresentaram um aumento de 25,79% no número, saltando de 56.668 para 71.281 visitantes. O Japão foi o único país que teve baixa no índice (-16%).

A autarquia Embratur se transformou em uma Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo através da Medida Provisória 907, assinada no dia 27 de novembro de 2019. Em conjunto com as pastas da Economia e da Infraestrutura, ela extingue cobranças e mantém importantes benefícios fiscais para segmentos turísticos a partir de janeiro de 2020. O documento, publicado no Diário Oficial da União, segue para aprovação no Congresso Nacional.

O órgão será subordinado ao Ministério do Turismo, mas terá orçamento próprio, recurso que virá do Sebrae. O montante será de 15,75% do adicional da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) atualmente destinada ao Sistema S. A agência terá 60 dias para publicação de seu estatuto. Permitirá mais agilidade e modernidade para promover as ações necessárias com a possibilidade de realizar ações em parceria com a iniciativa privada.

Com a prática de ações bem sucedidas, O Brasil trilhará o caminho para o desenvolvimento econômico sustentável, sempre com o objetivo de potencializar o turismo, gerar renda e emprego para a população. “O turismo não é uma viagem sem volta, pois permite a troca de conhecimento com os visitantes de inúmeras culturas, fortalece a economia e traz o progresso, principalmente para as comunidades pertencentes às regiões turísticas”, conclui Vininha F. Carvalho.

Website: https://www.revistaecotour.news

Artigos Relacionados