Samantha Schmütz denuncia taxista agressor

Atriz tomou atitude drástica ao saber do histórico de agressão do motorista

Samantha Schmütz denuncia taxista agressorPublicado em 21 maio, 2019 - 11:12 por Redação BR

Samantha Schmütz passou por uma situação complicada recentemente.

No táxi a caminho de um compromisso, a atriz foi surpreendida com algumas coisas ditas pelo motorista.

O homem confessa para Samantha Schmütz ter agredido um casal gay após presenciar beijo entre eles. Observando as barbaridades, a atriz resolveu gravar.

“Tomar uma atitude enérgica, entendeu? Aí eu tomei e minha mulher ficou apavorada”, começou ele. “E o que você fez?”, questionou a atriz. “Eu dei uma coça nos dois”, rebate ele.

“Você bateu nos dois caras porque eles estavam se beijando? O que é isso, moço?”, questiona Samantha, indignada.

”Dei uma coça. Não tinha lei ainda, não tinha essa liberação total. Eles desrespeitaram todo mundo. Não tem nada a ver: um montão de casal hétero, ‘normal’, ninguém se beijando e por que os dois ficaram se agarrando ali? Não tinha porque fazer aquilo ali. Hoje as cabeças estão diferentes. Aí dei uma coça nos dois”, detalhou o motorista.

Leia Também  Influencer Dani Moraes lança workshop

Na sequência dos vídeos, Samantha já aparece fora do veículo. “Mano, na boa, eu desci do táxi! Ele falou: ‘Você está descendo por causa dessa minha história?’. Eu falei: ‘Sim, estou descendo por causa dessa sua história! Por favor, pare o carro que não tenho como ficar aqui”, disse ela.

“Gente, estou muito apavorada com a falta de noção das pessoas com o espaço do outro! É em todas as áreas, que tristeza. Por isso que a gente tem que lutar pela educação, porque sem educação as pessoas não têm como respeitar o limite do outro. Até onde vai o seu limite. Pelo amor de Deus, o que está acontecendo?”, acrescentou.

Leia Também  Caique e Carlinhos Aguiar posam em clima de gala

Samantha continua e com um filtro que envelhece, ela fez um questionamento. “Como vocês podem ver, envelheci uns 80 anos com esses episódios de ódio, não é mesmo? ‘Em um momento de cegueira eu bati no cara’. E se ele dá um tiro e mata? E se ele não sabe atirar direito e você que está do lado, não tem nada a ver com isso, não está beijando ninguém, toma um tiro? Eu desci do táxi porque quem não se posiciona contra está a favor”. 

 

 

 

Foto:Reprodução