Ronan Horta faz documentário sobre Meio Ambiente


Filme vai retratar movimento que pretende reunir cerca de dezoito mil pessoas para dar um grande abraço simbólico aos oceanos

Ronan Horta faz documentário sobre Meio AmbientePublicado por Cristina Aguilera em 6 jun, 2019 - 15:18 -

No próximo sábado, dia 8 de junho, Dia Mundial dos Oceanos, a partir das 9h, vai acontecer no Rio de Janeiro uma grande manifestação a favor do meio ambiente. O movimento pretende reunir cerca de dezoito mil pessoas que unindo  as mãos vão dar um grande abraço simbólico nos oceanos. Organizado pela Route Brasil, uma organização de limpeza de praias e oceanos que existe desde 2011, a manifestação vai acontecer nas praias da Barra até o Recreio. Além do abraço simbólico aos oceanos, o público será convidado a contribuir com a maior ação de limpeza de praia no mundo.  A  ação pretende  entrar no  Guinness Book.

A iniciativa vai virar o documentário “Aquele Abraço”, dirigido por Ronan Horta,  que interpreta o Cabo Góes em  Malhação (Rede Globo) e Felipe Bretas.  E contará com a participação de vários artistas como o ator  Matheus Solano, Thiago Lacerda e Vanessa Loes.

Isabella Santoni, Simão Felipe, Ronan Horta e Caio Vaz em defesa do meio ambiente. Foto: Kai Miedermair

Isabella Santoni, Simão Felipe, Ronan Horta e Caio Vaz Foto: Kai Miedermair

Confira a entrevista com o diretor e ator Ronan Horta:

Desde quando o documentário vem sendo gravado? 

Desde que  o diretor da  Route Brasil me falou sobre  o projeto, imediatamente me disponibilizei para registrar todo o processo.

Não é todo dia que se reúne 18 mil pessoas para um manifesto desse porte em prol da natureza e da conscientização da população.

Me senti no dever como artista de maximizar essa informação.

 

O que é a Route Brasil?

Dirigida por Simão Felippe, a Route Brasil é uma organização de limpeza de praias e oceanos que existe desde 2011.

Começou em Florianópolis e hoje se expandiu pelo Brasil, além de atuar  em alguns pontos do mundo como Los Angeles, San Diego, Havai, Portugal e Bali.

A expansão de conscientização vem crescendo a cada dia e novos grupos vão se formando inspirados pelo movimento.

Depois de realizar diversas ações durante anos, Simão  teve a ideia de reunir 18 mil pessoas para realizar  a maior ação de limpeza de praia.

 

Quem participa? 

Quando eu me comprometi em documentar a ação, tive que montar um time, uma força tarefa.

Não tínhamos um real para começar o projeto , então procurei os amigos que já tinham trabalhado em outros projetos e que eu sabia que iriam abraçar a ideia e somar para o resultado dessa história.

Começamos com duas produtoras  e  hoje somos várias envolvidas.

Entre elas :   Em Movimento Produções, de minha propriedade, a  Infinite Altitude,  a Multiphocus , Spoiler Filmes, Bulliyng do Bem, Mahallo Produções.

Thiago Lacerda, Ronan Horta e Vanessa Loes . Marcelo Krengiel

 

Quais foram as dificuldades e as conquistas?

Maior dificuldade é trabalhar diariamente, montar uma equipe profissional, disponibilizar os equipamentos necessários  e fazer a gestão de pessoas.

Tudo isso em um cenário onde não tem grana. Claro que pretendemos vender o documentário, mas temos um caminho de amor pela arte  pela frente.

A maior conquista foi saber que com fé, verdade e resiliência você consegue fazer coisas incríveis que o dinheiro não compra.

 

O documentário tem algum apoio cultural? 

Não tivemos tempo para esperar patrocínio.  O  momento era aquele e tínhamos  que agir rápido pra não perder o “Big Bang” da história.

Mas temos o apoio de muita gente engajada e preocupada em alertar a população sobre o que está acontecendo com o planeta.

Essa corrente não tem preço, quando finalizarmos tenho certeza que vamos ter um resultado maravilhoso.

 

Onde o documentário será exibido? Já tem data de estreia? 

Já tem emissoras de TV abertas  e algumas plataformas de distribuição interessadas.  Estamos montando o piloto para a venda, trabalhar organicamente é uma arte.

É preciso ter muita habilidade e persistência para montar um time e manter ele firme e focado até a linha de chegada, uma vez que também somos “voluntários” na execução do documentário.

Mas administramos bem e o time cresceu.

Vamos para o dia 8 com uma “tropa de elite” bem determinada e focada no bom resultado e na transformação através da informação.

 

O que o público pode esperar desse documentário? 

Uma história e um processo de realização, mobilização em massa, garra, força de vontade, resiliência e comprometimento com o meio ambiente.

Além, claro,  de informações preciosas de comportamentos e atitudes.

O ser humano precisa acordar e entender que não tem “jogar o lixo fora” , fora onde? Somos os únicos animais “inteligentes” que destruímos a nossa própria existência e a dos outros ao nosso redor.

Então o documentário vem para alertar, acordar a população e conscientizar sobre a gravidade do que está acontecendo.

 

Como foi o convite para dirigir o documentário? 

Na verdade eu abracei o projeto pela urgência do movimento que estava se formando.

Já estava dirigindo outros projetos e queria me exercitar como diretor e realizador desse processo.

Convidei um time de profissionais que confio muito para estar ao meu lado nesse desafio.

O Felipe Bretas está na direção comigo, além de amigo é uma escola.

 

Qual sua experiência com a sétima arte? 

Há um ano, escrevi, dirigi e fiz a produção executiva do meu primeiro filme o “Realidade Frenética”. Foi minha escola de cinema.

A partir disso aprendi muito, criei uma independência e autossuficiência executiva que me deram confiança para navegar em novos mares. Depois desse filme dirigi curtas, vídeo clipes, publicidade e tudo isso me ajudou a chegar preparado para o documentário “Aquele Abraço”.

 

Será que o brasileiro está consciente da necessidade de participar da resolução de problemas ambientais?

Não, infelizmente! O brasileiro em massa está preocupado em comer, ter oportunidade de educação, saneamento básico e dignidade, antes de saber que existe a natureza.

Mas existe uma grande parcela de pessoas que abraça essa mudança, tem consciência da necessidade urgente desses movimentos de conscientização.

Somos minoria lutando para atingir a massa e lutando pela preservação da nossa espécie e das outras.

A conscientização é a solução e eu como artista quero fazer minha parte nessa história.

 

Quem quiser participar da ação no dia 8 de junho a favor do meio ambiente como deve proceder?

Os voluntários devem se cadastrar no site:  https://routebrasil.org/aqueleabraco

Haverá 100 postos de apoio para receber os voluntários.

Serão distribuídas luvas, sacos de lixo reciclável e os participantes serão instruídos para a ação de limpeza e triagem do lixo encontrado nas praias.

 

Siga

@routebrasil

@ronanhorta

https://routebrasil.org/

https://www.ronanhortaoficial.com/