“Remodelação óssea”, por Dr. Marcos Harter

O hipomentonismo, situação na qual o paciente tem um queixo muito pequeno, e o hipermentonismo (situação inversa), produz perfis estigmatizantes, que no longo prazo podem causar dano psicológico em pacientes vitimados por bullying.

               “Remodelação óssea”, por Dr. Marcos HarterPublicado, 17 jan, 2019 - 14:48 por Redação BR

Dr. Marcos Harter é cirurgião plástico em Mato Grosso

O crânio, assim como qualquer osso do corpo humano é duro como pedra mas, por incrível que pareça, também é passível de remodelagem devido ao passar do tempo e através de mecanismos de absorção e desabsorção de cálcio, realizados, respectivamente, por células chamadas de osteoblastos e osteoclastos.

A prova de que a ação da gravidade exerce papel importante no remodelamento de estruturas rígidas e semi-rígidas pode ser vista em alguns vitrais de algumas catedrais com mais de 400 anos espalhadas pela Europa.

Observou-se que a base dos vidros contidos nas janelas era muito mais espessa do que o topo. E a explicação do fenômeno está na força que puxa todo e qualquer corpo para o centro da terra. Então, da mesma forma, a ação desta força transforma a órbita ocular de redonda, num jovem, para levemente quadrangular num idoso. Assim como a ação muscular do masseter (o músculo mais forte do corpo) por atividades como mastigar e falar acabam por “apagar” o ângulo da mandíbula.

Além das repercussões estéticas que o tempo produz com a remodelagem óssea facial é importante também lembrar que muitos pacientes podem ser congenitamente acometidos por defeitos ósseos faciais.

O hipomentonismo, situação na qual o paciente tem um queixo muito pequeno, e o hipermentonismo (situação inversa), produz perfis estigmatizantes, que no longo prazo podem causar dano psicológico em pacientes vitimados por bullying, dentre outras agressões psicológicas que o ser humano, infelizmente, ainda sofre por ocasião de apresentar-se diferente do comum – apesar de ainda ser normal.

Para o tratamento dessas imperfeições, a cirurgia plástica dispõe de um grupo de cirurgiões especializados na modelagem óssea facial.

Literalmente com o lema “faca na caveira”, esse BOPE de Cirurgiões Plásticos produz a beleza na face de inúmeros pacientes através de preenchimentos e/ou raspagens ósseas.

O conjunto de ângulos faciais que denota beleza num rosto e que foi denominado no conceito das “Divinas Proporções Faciais”, de Leonardo da Vinci, pode ser alcançado por nós, cirurgiões plásticos. E, desta forma, devolvemos ao convívio social pacientes anteriormente proscritos à sociedade. Nossa mais nobre missão.

Divulgação

 

Sem categoria