Ikaro Kadoshi, é destaque na 19ª edição da Parada do Orgulho LGBT de Campinas



Ikaro Kadoshi, é destaque na 19ª edição da Parada do Orgulho LGBT de CampinasPublicado por Redação BR em 30 jun, 2019 - 14:18 / Creditos

Ikaro Kadoshi, a drag apresentadora do Drag Me as a Queen um reality show brasileiro do canal E! foi destaque da da do Orgulho de

A luta pela diversidade e liberdade de escolha levou cerca de 110 Mil pessoas à região central de Campinas neste domingo (30), segundo estimativa da Guarda Municipal.

O tema deste ano foi “” aproveitando para mandar uma mensagem clara a alguns políticos e também religiosos: que essa comunidade pode sim constituir família, como destaca Douglas Holanda, presidente da Associação da Parada e Apoio LGBT da cidade.

Apesar da seriedade do assunto, a tônica do evento foi a alegria e a união. O público foi composto por diversas faixas etárias, abrangendo, inclusive, simpatizantes e heterossexuais que não se prendem a preconceitos.

A concentração ocorreu ao lado do Fórum, na Avenida Campos Salles. Por volta das 13h20 foi dada a largada oficial, com a entoação do hino nacional brasileiro. Em seguida, músicas dos mais conflitantes gêneros eram tocadas, reforçando a ideia central.

Operação de trânsito

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) organizou uma operação especial para o evento, tendo em vista que três trios elétricos participaram do desfile pelas principais ruas do . Eles passaram, sequencialmente, pelas Avenidas Francisco Glicério, Doutor Moraes Salles (pista interna), Rua Irmã Serafina (pista interna), Av. Anchieta (pista interna), Av. Benjamin Constant, Av. Francisco Glicério, finalizando o itinerário no , ponto escolhido para os shows.

No momento em que passavam pelas vias outros pequenos bloqueios foram realizados momentaneamente. Os trios foram liberados com certo intervalo de tempo para que os participantes não ficassem aglomerados em um lugar só. A Parada afetou as linhas de ônibus que, usualmente, passam pelo Centro.

Crédito das Fotos: EGOBrazil

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do EGOBrazil