O maior estudo estatisticamente significativo de 6.200 médicos de vários países sobre o COVID-19 revela padrões de tratamento e coloca pandemia no contexto



O maior estudo estatisticamente significativo de 6.200 médicos de vários países sobre o COVID-19 revela padrões de tratamento e coloca pandemia no contextoPublicado por Dino Divulgação em 2 abr, 2020 - 15:52 / Creditos

NOVA YORK 2/4/2020 –

Confusão generalizada, relatórios conflitantes, testes inconsistentes e uso indevido de medicamentos existentes e experimentais resultaram em nenhuma fonte única de informação das linhas de frente. Para criar uma base de conhecimentos centralizada e dinâmica, a Sermo, a empresa global de pesquisas em cuidados de saúde e plataforma social para , tirou proveito dos seus recursos para publicar resultados de um sobre o COVID-19 com mais de 6.200 em 30 países. O estudo foi concluído em três dias. Os dados abrangem as opções atuais de tratamento e profilaxia, o momento até o pico do surto, as escolhas éticas, a eficácia das respostas do governo e muito mais. Várias ondas de estudo, incluindo uma investigação mais detalhada para os tratamentos, serão realizadas nas próximas semanas. Para visualizar os resultados e países, acesse sermo.com.

Principais descobertas; barômetro em tempo real da Sermo*:

Tratamentos e eficácia

  • Os três tratamentos mais comumente prescritos entre os profissionais que tratam do COVID-19 são 56% de analgésicos, 41% de azitromicina e 33% de hidroxicloroquina
  • O uso de hidroxicloroquina entre os tratadores do COVID-19 é de 72% na Espanha, 49% na Itália, 41% no Brasil, 39% no México, 28% na França, 23% na França, 23% nos EUA, 17% na Alemanha, 17% na Alemanha, 16% no Canadá, 13 % no Reino Unido e 7% no Japão
  • No geral, a hidroxicloroquina foi escolhida como a terapia mais eficaz entre os tratadores do COVID-19 de uma lista de quinze opções. (37% dos tratadores COVID-19)

    • 75% na Espanha, 53% na Itália, 44% na China, 43% no Brasil, 29% na França, 23% nos EUA e 13% no Reino Unido
  • Os dois regimes de tratamento mais comuns para a hidroxicloroquina foram:

    • (38%) 400 mg duas vezes ao dia no primeiro dia; 400 mg por dia durante cinco dias
    • (26%) 400 mg duas vezes ao dia no primeiro dia; 200mg duas vezes ao dia por quatro dias
  • Fora dos EUA, a hidroxicloroquina foi usada igualmente para pacientes diagnosticados com sintomas leves a graves, enquanto nos EUA foi mais usada para pacientes diagnosticados com alto risco
  • Globalmente, 19% dos médicos prescreveram ou viram a hidroxicloroquina profilaticamente usada em pacientes de alto risco e 8% para pacientes de baixo risco

Segunda onda de surto

  • O segundo surto global é previsto por 83% dos médicos do mundo inteiro, 90% dos médicos dos EUA, mas apenas 50% dos médicos chineses

Tempo médio de teste

  • Em média, os testes nos EUA levam de 4 a 5 dias e, em 10% dos casos, a espera é superior a 7 dias
  • 14% dos médicos dos EUA e mais de 50% em toda a Europa e Japão relatam obter os resultados de testes em 24 horas; na China, 73% dos médicos fazem testes em 24 horas, enquanto 8% fazem testes em uma hora

Priorização do tratamento se houver falta de ventilação

  • Em todos os países, exceto na China, o principal critério para decidir quem deve receber um ventilador primeiro foram os pacientes com maior chance de recuperação (47%), seguidos pelos mais doentes e com maior risco de morte (21%), depois os socorristas (15%)

    • Na China, as prioridades foram invertidas, pois os pacientes com maior e mais alto risco de morte receberam os ventiladores
  • Nos EUA, os socorristas foram os mais importantes
  • França, Japão e Itália deram prioridadeàidade
  • Brasil e Rússia deram prioridade aos pacientes de maior risco

Tempo de pico e restrições

  • Nos EUA, 63% dos médicos recomendam que as restrições sejam levantadas em seis ou mais semanas a partir de agora e 66% acreditam que o pico chegará em pelo menos três a quatro semanas

Para a metodologia completa, clique aqui.

“Este é um tesouro de insights globais para os formuladores de políticas. As opiniões dos médicos devem ser mais ouvidas na maneira como lidamos com esta pandemia e poder compartilhar rapidamente informações entre si e com o mundo”, disse Peter Kirk, CEO na Sermo. “Com a censura da mídia e da comunidade médica em alguns países, juntamente com alguns estudos tendenciosos e mal planejados, as soluções para a pandemia estão sendo adiadas. Convidamos os médicos do mundo inteiro a contribuir para ajudar a informar os formuladores de políticas, os seus colegas e o público.”

*Os resultados fornecem observações médicas, mas não substituem as diretrizes médicas oficiais.

Metodologia

Os resultados são relatados para países individuais com um tamanho mínimo de amostra de 250. Esse tamanho de amostra fornece estimativas pontuais com uma precisão de +/- 6% com um nível de confiança de 94%. Os trinta países incluídos no estudo são Estados Unidos, Canadá, Argentina, Brasil, México, Alemanha, Itália, Reino Unido, França, Espanha, Bélgica, Holanda, Suécia, Turquia, Polônia, Rússia, Finlândia, Irlanda, Suíça, Áustria, Dinamarca, Noruega, Grécia, Taiwan, Japão, Coréia do Sul, Austrália, China, Índia e Hong Kong. Nenhum incentivo foi oferecido aos entrevistados. Metodologia completa.

Sobre a Sermo

A Sermo é a maior empresa de coleta de dados de cuidados de saúde e plataforma social para médicos, alcançando 1,3 milhões de profissionais da área de saúde (HCPs) em 150 países. A plataforma permite que os médicos falem anonimamente sobre a medicina do mundo real, analisem as opções de tratamento por meio da nossa plataforma proprietária Drug Ratings (Classificação de Medicamentos), solucionem coletivamente casos de pacientes e participem de pesquisas de mercado da área médica. Para mais informações, acesse sermo.com.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Mídia:

Niki Franklin

Racepoint Global em nome da Sermo

+1 617 624 3264

[email protected]

Fonte: BUSINESS WIRE