08/09/2018

Cândido Ferreira em Campinas recebe Mostra + Sustentável Edição

Cândido Ferreira em Campinas recebe Mostra + Sustentável Edição

O Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira, cuja fachada é tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural de Campinas (Condepacc), recebe neste ano a 2ª Mostra + Sustentável Edição 2018, que estará aberta ao público no período de 29 de agosto a 7 de outubro. O lançamento da edição 2018 da exposição de arquitetura e decoração, que apresenta um conceito inovador – calcado no tripé de equidade social, prosperidade econômica e qualidade ambiental -, aconteceu na manhã desta terça-feira, 13 de março, em um acolhedor café da manhã de boas-vindas aos expositores e à imprensa, em uma das instalações do Candinho no distrito de Sousas, em Campinas.

O projeto prevê a criação de 42 ambientes, distribuídos em quatro blocos, em uma área de 3.000m², sendo 2.000mil m² área construída e 1.000m² de paisagismo. O fio condutor para orientar o processo de criação dos profissionais expositores envolvidos será a concepção de uma pousada eco-chic, conceito que vem ganhando espaço e adesão ao adotar consciência ambiental sem abrir mão da beleza, qualidade e conforto. O idealizador do evento, o engenheiro Fernando Caparica, a superintendente da Associação Cândido Ferreira, Telma Palmieri, e a arquiteta da Coordenadoria Setorial do Patrimônio Cultural (CSPC) – órgão de apoio técnico do Condepacc -, Sandra Geraldi, receberam os convidados, expositores e jornalistas no local para dar mais detalhes e apresentar o espaço.

A Mostra+Sustentável é beneficente, possui caráter colaborativo e tem como um dos principais diferenciais ser realizada em uma instituição com reconhecida atuação social em Campinas ou na região, que recebe as melhorias como um legado. “Há uma grande mobilização de pessoas, investimentos e recursos materiais. Então, por que não enxergá-los como potenciais agentes de transformação e de conscientização para tornar a comunidade melhor?”, defende Caparica.

Para a superintendente do serviço de saúde, Telma Palmieri, a expectativa sobre a mostra é grande. “Estamos muito felizes em receber esse evento e seus profissionais. Avaliamos a importância de sermos sede de uma mostra com a proposta da sustentabilidade, pois a mesma vai ao encontro dos nossos valores institucionais’, afirma. Ela avalia que, além da revitalização da construção e melhoria física da infraestrutura do local, os espaços serão ressignificados a partir das benfeitorias, dando um novo sentido à própria reutilização dos ambientes.

A equipe organizadora da exposição é encabeçada pelos sócios-gestores Fernando Caparica – que também tem MBA em Construções Sustentáveis – e Iara Santos, e se completa com o coordenador de arquitetura e projetos, o arquiteto e paisagista Lourenço Dantas; o coordenador de arquitetura e sustentabilidade, o também arquiteto e urbanista Rodrigo Espíndola; e a arquiteta Camila de Souza.

Os expositores terão liberdade de criação em seu projetos, mas deverão seguir as normas do Condepacc que disciplinam as intervenções físicas no caso de patrimônios/fachadas tombados.

Resgate histórico e engajamento social

No ano passado, além de promover o retrofit – termo utilizado principalmente em engenharia para designar o processo de modernização de algum equipamento já considerado ultrapassado ou fora de norma –  do espaço integrante do Lar dos Velhinhos, a Mostra+Sustentável 2017 deixou outro importante legado: o engajamento social e a difusão dos conceitos de sustentabilidade ao alcance de todos.

A ação promoveu o resgate da história de uma das estruturas da propriedade, em estilo colonial, que estava sendo utilizada como depósito. O espaço total reestruturado pela mostra contemplou 2.950 metros quadrados – 850 m² de edificação, 1.500m² de paisagismo e mais 600m² de rua. Atualmente, a entidade acolhe e hospeda aproximadamente 80 idosos desfavorecidos, de ambos os sexos.

Sobre a mostra

O evento tem como principal objetivo conscientizar e incorporar conceitos e atitudes sustentáveis no cotidiano das famílias, além de desmistificar a ideia de que práticas sustentáveis são mais caras e complicadas. O binômio qualidade-beleza andam de mãos dadas com a preservação do patrimônio existente, a minimização da geração de resíduos, a utilização de materiais corretos e adequados, custo acessível e redução do consumo de água e energia.

Para consolidar tal objetivo, serão realizados eventos paralelos no período em que a mostra estará aberta ao público, como a programação de visitas agendadas, monitoradas e gratuitas de estudantes de escolas municipais e particulares de Campinas, palestras e conversas técnicas sobre arquitetura e design de interiores, gastronomia e qualidade de vida. “É importante que esses jovens sejam agentes multiplicadores das práticas e dos conceitos sustentáveis que integram o projeto e que ajudem na difusão desse conhecimento na comunidade”, afirma a sócia da Mostra, Iara Santos.

O Cândido Ferreira

O Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1993 como instituição modelo de tratamento no Brasil e um dos atuais exemplos do processo de abertura manicomial, apresentando uma experiência de aprender, cultivar e exercitar a cidadania. Núcleo de Oficinas de Trabalho, Serviços Residenciais terapêuticos e Centros de Atenção Psicossocial são os nomes de alguns projetos gerenciados pela entidade, a fim de oferecer novos modos de tratamento aos usuários da saúde mental, reintegrando-os à sociedade.

Mais do que a valorização pela importância histórica da sua parte física – composta por fachadas interiores e exteriores, que revelam os modelos estéticos arquitetônicos e mobiliários da época de fundação, em meados da década de 20 – é necessário considerar a relevância do hospital no contexto de sua criação.

Inicialmente denominado ‘Hospício de Dementes’, teve seu título trocado na década de 30 e adotou-se então a denominação ‘Sanatório Dr. Cândido Ferreira’, em homenagem ao ilustre campineiro pai de Dona Sylvia, fundadora e incentivadora dessa Instituição. A Associação sobreviveu muitos anos por meio de doações, arrecadações de mensalidades dos sócios efetivos e pagamentos de diárias dos pacientes pensionistas, até que, em 1990, assinou um convênio de cogestão com a Prefeitura Municipal de Campinas.

Em julho de 2017, o Cândido Ferreira fechou sua unidade de internação psiquiátrica e seu Código e Descrição da Atividade Econômica principal (CNAE) passou de Hospital Psiquiátrico para Centros de Assistência Psicossocial, consolidando seu modelo assistencial.

Atualmente, o Serviço atende cerca de 7 mil usuários/mês, contando com a colaboração de aproximadamente 900 funcionários, que atuam em suas unidades de atendimento para crianças, adolescentes e adultos distribuídas em todo município de Campinas, tais como: Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Centros de Convivência, Consultório na Rua, Residências Terapêuticas, Oficinas de Inclusão Social pelo Trabalho e Projetos Culturais.

Confira como foi o lançamento da Edição 2018 da Mostra + Sustentável

https://www.flickr.com/photos/candidoferreira/albums/72157693702738244