Mileide Mihaile fala sobre Carnaval 2020


Empresária e influenciadora digital desfilará como musa da escola de samba carioca Acadêmicos do Grande Rio, de Duque de Caxias

Mileide Mihaile fala sobre Carnaval 2020Publicado por Redação BR em 5 fev, 2020 - 2:10 - Foto: Diego Souza/Divulgação

Mileide Mihaile está ansiosa. É que, este ano, a empresária e influenciadora digital, de 30 anos, vai desfilar na Sapucaí pela Acadêmicos da Grande Rio como musa da agremiação. Mileide assumiu o posto oficial em setembro do ano passado, durante um evento na quadra da escola, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. “Desfilar, para mim, é um sonho, desde muito novinha. Via mulheres lindas na Avenida, como Luma de Oliveira, e sempre imaginei que um dia estaria lá”, diz Mileide.

Para ter fôlego para sambar mais de uma hora na Avenida, Mileide intensificou a rotina de treinos e cuidados com a saúde. A empresária faz exercícios diariamente, além das aulas de dança para brilhar na folia. “Estou fazendo mais treinos de alta intensidade. Malhando até final de semana. Minha meta é deixar o corpo mais sequinho. Já emagreci quatro quilos, mas quero perder mais um pouco”, entrega ela, que mede 1,60 m e pesa 57 Kg.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O ENREDO
Em 2020, a escola – cujas cores são vermelho, verde e branco – leva para a Marquês de Sapucaí o debate sobre tolerância religiosa com o enredo Tata Londirá: o Canto do Caboclo no Quilombo de Caxias. Desenvolvido pelos carnavalescos Gabriel Haddad Leonardo Bora, que contará a vida de Joãozinho da Gomeia, pai de santo lendário que fez história no município de Duque de Caxias, e um dos que mais vem sofrendo ataques e depredações por parte de detratores das religiões afro-brasileiras.

O último setor do desfile da agremiação abordará o tema da intolerância religiosa. O presidente da escola, Milton Perácio, está feliz com a escolha do tema, que retrata a vida de uma pessoa tão influente no município. “Ele ajudou tanta gente e, mesmo assim, sofreu muito com o preconceito. Neste ano, levantamos também a bandeira contra o preconceito, seja racial, seja de crença. Qualquer tipo de preconceito é prejudicial e um atraso para a humanidade”, frisa Perácio.

Uma das fantasias a compor o desfile e contar essa história é a de Mileide, que desfilará como a musa principal da agremiação. Denominado Caminhos do Axé, o traje traz em sua representação muita energia, força e o poder instaurador do mágico rito praticado pelos candomblés,