Mergulho em água rasa, perigo de acidentes



Mergulho em água rasa, perigo de acidentesPublicado por Redação BRZ em 15 jan, 2020 - 15:36 - Divulgação

Nesse período de férias muitas pessoas e principalmente crianças, adolescentes e adultos, procuram diversão em destinos como piscinas, praias, cachoeiras e rios para aproveitar os momentos de lazer e descanso. Porém em segundos tudo pode se transformar em tragédia e representar um verdadeiro perigo para a saúde.

Tudo acontece em frações de segundos, com baixa ou boa visualização da água não temos a noção exata da profundidade do local aonde vamos adentrar antes do mergulho.

Segundo a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN), mergulho em agua rasa é a segunda maior causa de traumatismo raquimedular no verão, onde 65% desses acidentes ocorrem no mar ou em piscinas, acometendo os homens em 90% dos casos, com idades entre 10 e 29 anos com média de 23 anos.

Entre 37-50% dos casos existem relatos de ingestão de álcool previamente ao acidente.

As principais lesões por esse tipo de mecanismo de trauma são as fraturas cervicais e lesões ligamentares com ou sem acometimento medular, onde o trauma craniano em flexão de pescoço causa uma onda de choque transmitida ao pescoço e conseguentemente a coluna cervical, podendo ter consequências gravíssimas com lesão medular, parada respiratória, tetraplegia e morte súbita, explica o Dr. Marco Moscatelli, Neurocirurgião da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

Os primeiros socorros devemm ser prestados com cautela por terceiros, onde a vítima deve ser levada para fora da aguá protegendo a sua cervical em posiçao neutra, chamar ajuda imediatamente.

O tratamento intrahospitalar vai desde analgesia e colar cervical para os casos leves até procedimentos cirúrgicos para fixação de fraturas e descompressões medulares.

Segue abaixo algumas dicas do Dr. Marco Moscatelli para aproveitar o verão com segurança.

  1. Antes de mergulhar, entre e verifique a profundidade do local.
  2. Nao ingerir bebidas alcoólicas antes de mergulhar.
  3. Evite brincadeiras proximas aos locais citados.
  4. Ao mergulhar faça superficialmente.
  5. Estenda os braços. protegendo a cabeça.
  6. Evite águas turvas.
  7. Mergulhe somente quando extremamente necessário.

Fonte: @dr.marco.moscatelli

Artigos Relacionados