TRF-4 negou o pedido. Primeiro debate na TV entre os candidatos à Presidência será realizado nesta quinta-feira, pela Band.

O PT entrou com um mandado de segurança no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), nesta quarta-feira (8), insistindo que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso, participe do debate da Band.

O debate é o primeiro entre os candidatos à Presidência nas eleições 2018 e será realizado nesta quinta-feira (9).

O partido pede autorização para que Lula participe do debate “presencialmente”, de preferência. Se não for possível, pede que a participação ocorra “por meio de videoconferência”.

Como última opção, o PT pede que Lula participe do debate “por meio de vídeos previamente gravados no âmbito da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba”, onde o ex-presidente está preso.

Na última segunda (6), um pedido do PT foi negado no TRF-4 pela juíza federal Bianca Georgia Cruz Arenhart, que substituía o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da Operação Lava Jato no tribunal. Na decisão, a magistrada afirmou que não caberia ao partido entrar com a ação, mas apenas a Lula e seus advogados.

Para o PT, a decisão é equivocada. “Assim, equivoca-se a decisão, uma vez que os requerimentos formulados não são diretamente relacionados à execução da pena imposta ao ex-presidente Lula, apesar de haverem sido impulsionados pela ordem de prisão, em si. Isso porque o ex-presidente é o candidato do Partido dos Trabalhadores ao cargo de presidente da República, para o pleito eleitoral deste ano”, diz o mandado de segurança.

“Ao candidato desta agremiação devem lhe ser afiançados os mesmos direitos assegurados aos demais representantes dos partidos na disputa eleitoral, tais como conceder entrevistas e participar de debates”, continua o texto.

Nesta quinta-feira, o TRF-4 negou o pedido do PT. Na decisão, a desembargadora Claudia Cristina Cristofani reafirma que caberia apenas a Lula, por meio de seus advogados, solicitar benefícios para si.

Debate paralelo

Sem Lula na Band, o partido vai fazer um “debate” paralelo nas redes sociais do ex-presidente, a partir das 22h. O PT anunciou que participarão da transmissão o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), a deputada Manuela D’Ávila (PCdoB), a senadora e presidente do PT Gleisi Hoffmann e Sergio Gabrielli.

Haddad foi indicado como vice na chapa do PT até que Manuela assuma como vice de fato.

 

Divulgacao