Travesti Luísa Marilac lança sua autobiografia

Travesti Luísa Marilac lança sua autobiografiaPublicado em 20 abr, 2019 - 12:00 por Redação BR

Pré-venda disponível da Biografia da ativista Luísa Marilac por Nana Queiroz, autora de Presos que menstruam.

Luísa Marilac nasceu em Minas Gerais e assumiu-se travesti aos 17 anos. Além dos tradicionais traumas associados à transição de gênero em uma família conservadora e de classe baixa, levou sete facadas aos 16 anos, foi vítima de tráfico sexual na Europa, prostituiu-se, foi estuprada e presa mais de uma vez. Alçou-se à fama depois que viralizou no YouTube um vídeo seu com o bordão “E disseram que eu estava na pior”.

Em uma história de superação, transformou a dor em energia para lutar pela mudança do mundo para mulheres que nascem como ela – com um “pedaço de picanha entre as pernas”, como costuma brincar. Ativista das travestis, trabalha para combater o preconceito com humor e diálogo franco.

Leia Também  Melissa Paladino inaugura o próprio Beauty Concept

Com Nana Queiroz, constrói um relato visceral e poético sobre sua trajetória, dedicado “a todas as travestis que nunca viveram para contar suas histórias”, previsão de indicio das vendas para Maio/2019

 

Sobre a Autora

Luísa Marilac assumiu-se travesti aos 17 anos, foi vítima de tráfico sexual na Europa e, desde então, assistiu à morte da maioria de suas amigas para a prostituição, as cafetinas, o preconceito, as drogas, a AIDS e o suicídio. Alcançou a fama depois que um vídeo seu viralizou no YouTube, transformando-a em uma celebridade instantânea. Desde então, dedica suas redes sociais ao combate do preconceito.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Luisa Marilac (@luisamarilacc) em

Divulgação / EGOBrazil