Lívia Andrade diz “Leo Dias que eu conheci não existe mais”



Lívia Andrade diz “Leo Dias que eu conheci não existe mais”Publicado por Redação BR em 16 set, 2019 - 15:53 -

O jornalista Leo Dias concedeu uma entrevista para Márcia Goldschmidt no Instagram na última quinta-feira (12), e revelou que ganhou a fama de “dedo-duro” na maquiagem do SBT porque avisou a Lívia Andrade, apresentadora e sua colega do “Fofocalizando“, que a equipe estava reclamando do seu mau humor.

Pela primeira vez, Lívia Andrade fala sobre a briga com Leo Dias com exclusividade ao NaTelinha. A apresentadora do “Fofocalizando” resolveu se posicionar diante das declarações de Leo Dias na mídia em um longo desabafo: “O que eu realmente desejo do fundo do meu coração, se ele teve um pingo de consideração por mim, que pare de falar no meu nome”

Leo Dias citou para Márcia Goldschmidit as brigas envolvendo Lívia: Com Xuxa e Sasha (jornalista criticou editorial do Fofocalizando), equipe de maquiagem do SBT (veja depoimentos exclusivos abaixo ) e Antônia Fontenelle.

Essas verdades dele são realmente só dele! Quando as pessoas estão envenenadas elas distorcem a realidade e tentam achar um culpado pra justificar aquilo que estão fazendo. Então, essa é a verdade ele! É a verdade que ele conta. Não é justo me culpar pelas coisas que ele faz.

A redação , Lívia Andrade negou atrito com a equipe e abriu o coração ao falar do jornalista Leo Dias, que em uma fase difícil do jornalista, o abrigou em sua casa.

“O Leo Dias que eu conheci não existe mais. Esse aí que tá falando essas coisas nunca foi e jamais será meu amigo, eu guardo boas lembranças de uma pessoa que conheci e convivi por mais de seis meses bem de pertinho. E eu peço a Deus que ilumine os caminhos dele e também peço para que ele encontre com esse Leo Dias novamente e volte a ser uma pessoa bem melhor. E eu levo no meu coração, sinceramente, só lembranças boas. De uma pessoa que infelizmente não existe mais. Peço a Deus que abençoe a vida dele e afaste todo mal que o envenena, porque esse veneno não faz mal apenas pra ele, mas pra todo mundo que está a sua volta.”

Prefiro um inimigo declarado a um falso amigo. Que perto fala bem, mas fala mal pelas costas. Amigo fala a verdade um na cara do outro, não usa rede social para isso e nem dá entrevista incitando o ódio e não cria intriga entre outras pessoas.

“Infelizmente, é uma situação que muita gente conhece de perto dentro da sua própria família e eu também estou dentro dessa estatística. Conheço de perto o que esse mau causa e o quanto as pessoas sofrem. Porém a gente não pode permitir que esse veneno interferisse em nossas vidas e acabe com nossas famílias, amizades, nosso emprego.”

“Eu entendo e sei que é uma doença, mas não posso permitir que esse veneno também me contamine. Foi bom enquanto durou, mas infelizmente a minha ajuda não foi suficiente, fui incapaz. As pessoas tem que entender que deixar o outro triste, descontar a sua raiva e ódio não vai melhorar o que ela sente no momento. É preciso ajuda profissional. Então, de repente aquele Leo Dias que eu conheci foi se distanciando e se tornou uma pessoa totalmente diferente.

“Essas verdades dele são realmente só dele! Quando as pessoas estão envenenadas elas distorcem a realidade e tentam achar um culpado pra justificar aquilo que estão fazendo. Então, essa é a verdade ele! É a verdade que ele conta. Porém não é justo me culpar pelas coisas que ele faz.”

“Quem grita com as pessoas, quem maltrata as pessoas não é a Lívia Andrade e sim esse Leo Dias que eu preferi me afastar. Aquela semana eu estava bem chateada mesmo, fiquei irritada, fiquei triste, mas não vem ao caso falar os motivos. Quando estou assim de mau humor como ele disse, fico em silêncio e isso precisa ser respeitado, porque as pessoas têm momentos ruins. Só que não sou obrigada a aceitar algo que está fazendo mal para a minha vida e ferindo os meus sentimentos. Então, se ele tem alguma dificuldade na vida, ele deve buscar ajuda e não jogar nas minhas costas algo que o acompanha há anos.”

Eu sofro calada, me recupero e sigo em frente. Não culpo ninguém pra justificar minhas falhas, minhas fraquezas e minhas cagadas. Eu assumo o que eu faço.

“Prefiro um inimigo declarado a um falso amigo. Que perto fala bem, mas fala mal pelas costas. Amigo fala a verdade um na cara do outro, não usa rede social para isso e nem dá entrevista incitando o ódio e não cria intriga entre outras pessoas. Se eu fui tão filha da p*** (sic) esse tempo todo, do que é que ele sente falta? Esse afastamento deveria ser um livramento na vida dele, não um sofrimento como ele diz ser quando é conveniente. Se eu era tão do mal, manipuladora, mentirosa, grosseira, porque é que ele tolerou isso esse tempo todo enquanto estava bem?”.

“As pessoas tem que aprender a ouvir a palavra ‘NÃO’. Eu só era legal quando concordava e dizia ‘sim’, a primeira vez que eu não concordei e disse ‘não’, virei a pior pessoa do mundo. Eu era a irmã do coração em um dia, depois do ‘não’,  virei um monstro.”

“E eu também tenho sentimentos, tenho problema pra caramba. É um direito meu querer lidar e enfrentar quieta, calada, sem jogar em rede social, sem dividir com minha família, sem dividir sofrimento com meus amigos, porque eu sou assim. Eu sofro calada, me recupero e sigo em frente. Não culpo ninguém pra justificar minhas falhas, minhas fraquezas e minhas cagadas. Eu assumo o que eu faço. Ninguém vai saber como eu realmente me sinto. As pessoas não tem culpa pelos meus problemas, pelo que acontece de ruim na minha vida. Nem minha mãe sabe. Eu procuro trabalhar isso dentro de mim mesma. (…) Eu sou assim e me respeite por que eu sou assim.”

“Uma amizade onde um detona o outro publicamente e depois estão lá juntos como se nada tivesse acontecido não faz sentido para mim. Eu respeito, mas não quero isso para a minha vida. Amigos brigam sim, com certeza, mas não tentam prejudicar o outro, não querem ver o outro sofrer a todo custo, não criticam o trabalho do outro.”

Mas me maltratar, ela nunca me maltratou e foi isso que eu falei pra ele. Mas, ao contrário, ele já me maltratou. Já mandou eu levantar, já me falou palavrão, já falou coisas de baixo calão pra mim.

“Isso pra mim não é amizade, uma amizade só se sustenta se houver cumplicidade e sinceridade de ambas as partes, mas sem cobranças ou trocas. É ficar perto de quem te faz bem e que compartilha sua vida com você. Eu precisava de um tempo pra mim, alguns relacionamentos sufocam a gente, amizades também podem ser abusivas e isso é mais comum do que parece.

 

Divulgação / NaTelinha