25/07/2018

Hopi Hari tera Hora do Horror com temática “Sacrificium: Você será parte do ritual“

Hopi Hari tera Hora do Horror com temática “Sacrificium: Você será parte do ritual“

Hora do Horror com temática “Sacrificium: Você será parte do ritual“

A Hora do Horror é o maior evento de horror da América Latina! Nos meses de agosto, setembro e outubro, ao escurecer, algumas regiões do Hopi Hari são tomadas por criaturas terríveis em busca de visitantes medrosos. O evento ainda conta com balada e túneis preparados para testar até quanto de emoção o seu coração aguenta.

O evento Hora do Horror já recebeu mais de 6 milhões de visitantes em seus 17 anos e representa uma grande parcela da visitação anual do parque.

Tema

Com o tema “Sacrificium: Você será parte do ritual“, uma temática inédita e nunca abordada na história da Hora do Horror, o evento promete surpreender com diversos atrativos: mais de 100 aberrações espalhadas pelo parque, grandes figurinos, labirintos (fechado e a céu aberto) e apresentações ao longo da noite.

 

Cartaz oficial — Hora do Horror 2018: Sacrificium

 

 

O tema foi definido em março. Segundo o presidente do parque, José David, Sacrificium é um tema inédito que não era permitido nas antigas gestões e agora foi aprovado.

1º Cartaz teaser

1º Teaser divulgado em 01/05/2018 — Hora do Horror 2018

Quando?

A Hora do Horror 2018 ocorre de 10 de agosto 28 de outubro. A partir de 05/08, ocorrerão sessões de soft opening (espécie de estreia não oficial) para os visitantes no parque. É a chance de já conferir o que o maior evento de horror da América Latina tem para proporcionar!

Palco

Esse ano o palco retorna ao conhecido gramado, antigo local do Unicirco e palco das edições de 2014 , 2015 e 2016. Foi informado que a grama passará por melhorias, além de que os visitantes farão de alguma forma parte do show de abertura. O palco não será mais na La Tour Eiffel — que sediou a edição de 2017 e o Hopi Night 2018.

Toda essa mudança leva a crer que o retorno da atração esteja próximo, já que a enquete feita pelo presidente para saber qual atração deveria retornar primeiro foi encerrada e a La Tour Eiffel ganhou com 51% dos votos.

Equipe criativa

Harikadabra

A produtora Harikadabra surgiu como uma iniciativa do presidente do Hopi Hari José David.

Segundo ele: “A produção in house é uma inovação que vai de encontro ao uso responsável da verba, racionalizando custos e otimizando recursos.”

 

David também foi o responsável por reunir o “dream team” (time dos sonhos), como o mesmo se refere com profissionais renomados que já passaram por grandes eventos do gênero no Brasil.

Produtora Harikadabra:

A produtora Harikadabra surgiu como uma iniciativa do presidente do Hopi Hari José David. Segundo ele: “A produção in house é uma inovação que vai de encontro ao uso responsável da verba, racionalizando custos e otimizando recursos”. David também foi o responsável por reunir o “dream team” (time dos sonhos), como o mesmo se refere, com profissionais renomados que já passaram por grandes eventos do gênero no Brasil como Rogério Barbatti, Eduardo Campos, Anderson Rodrigues, José Roverato e Victor Akkas.

Rogério Barbatti, Gerente de Conteúdo do Hopi Hari e Diretor Artístico da Harikadabra, é o responsável pela concepção geral e conceito dessa edição. Iniciou sua carreira em 2009 no Hopi Hari como ator e desde 2016 responde pelo conteúdo do parque. Barbatti também é preparador de elenco com expertise em produções de espetáculos e desenvolvimento de efeitos especiais agregados a teatralização e dança.

Como Diretor de Maquiagem, o artista plástico Eduardo Campos assume a responsabilidade de dar vida aos personagens da história de Sacrificium. Autodidata e no ramo há 8 anos, cria maquiagens de efeitos especiais impressionantes. O desenvolvimento da identidade visual dos personagens lúdicos de Hopi Hari e Hopi Night são de sua autoria.

Na Direção de Figurino e preparação de atores temos Anderson Rodrigues, com mais de 20 anos de experiência em eventos de terror. Trabalhou como uma das produtoras das Noites do Terror, do Playcenter por 16 anos, já participou da produção da Hora do Horror e da Noites Macabras por 3 anos, criou a marca Cidade do Terror e já foi diretor artístico do Beto Carrero World por 4 anos.

E para desenvolver os cenários, contamos com os Diretores de Cenografia José Roverato e Victor Akkas. Roverato assina os túneis (labirintos) dessa edição. Com mais de 25 anos no ramo de cenografia, desenvolve técnicas e cenários para TV, cinema e grandes eventos. No Hopi Hari, já assinou mais de 20 túneis, além de fachadas e grandes palcos. Seus projetos saltam do 3D para o real com uma equipe altamente qualificada entregando veracidade em cada detalhe. Já Akkas é o responsável por todas as estruturas da Hora do Horror 2018. Cenógrafo e atuante nas áreas de Cinema e Teatro desde 1997, sua experiência é composta por diversas habilidades de construção guiadas pelos recursos técnicos alinhados à linguagem lúdica ou realista, incorporando materiais alternativos e novas tecnologias.

Túneis

Torturas

Localizado atrás do Katakumb, nele serão expostos todos os tipos de torturas presentes na Idade Média. Torça para sair vivo e sem passar por alguma tortura.

Leia Tambem  Governo multa McDonald's em R$ 6 mi por publicidade

Pedras Malditas

Um cemitério medieval onde foram enterrados os pagões capturados. Um passeio entre as tumbas de pedra e ruínas. Possivelmente será localizado ao lado do West River Hotel, em Wild West.

Pátio das Inquisições

Pocket Show em Wild West que mostrará uma caça às bruxas e todos aqueles não seguiram as doutrinas da época.

Covil das Bruxas

O famoso túnel com 100 metros de extensão retorna ao caminho do lago. Nele você vai poder presenciar de perto e até participar dos rituais comandados pelas bruxas.

Imigradero

Esse ano ao chegar no parque, será possível avistar no Imigradero cenografias ambientando a idade medieval, convidando o visitante à adentrar ainda mais no tema.

Enredo

A Hora do Horror sempre teve ótimos enredos com bom decorrer da história e desfecho. Para quem acompanha as mídias sociais do parque era possível entender todo o contexto e personagens com a visita no parque. A experiência tornava-se completa!

Em 2016 e em 2017, anos que o parque sofreu com a crise mais aguda, as duas edições foram bem carentes em quesito de construção de enredo. Tudo era muito confuso, solto, não tinha forte ligação com os personagens e não acrescentava em nada para o visitante. Eram apenas monstros soltos. Por que eles estavam lá? Ninguém sabia…

A construção de um bom enredo é um dos principais fatores que determinará como será a experiência do visitante desde antes à visita ao parque até o final do evento.

Caracterizações

Pode passar despercebido por grande parte do público, mas os detalhes nas caracterizações fazem diferença lá no subconsciente para os visitantes classificarem o evento como bom/ruim. A junção de detalhes, quase que imperceptíveis, tornam-se um fator importante ao julgar o evento.

Para quem visitou o evento nas edições de 2014 e 2015, pôde perceber o grande salto na qualidade das caracterizações se comparadas às outras edições — até mesmo 2011 e 2009 que são as mais queridas pelos fãs. Desde o sapato, o desgaste na roupa, o acessório, a lente de contato, peruca, até o trejeito e o ponto de susto eram pensados e a ansiedade por ver o que cada personagem tinha para oferecer era o que tornava o evento especial.

No Hopi Night 2018 tivemos personagens no evento com alto grau de caracterização e com a promessa de manter o nível da qualidade na Hora do Horror 2018.

Show de abertura

O show de abertura é o primeiro contato ao vivo do visitante com o evento. É onde a história continua para o fã que já vem acompanhando as redes sociais do parque e é onde todo o enredo tem de ser introduzido de forma simples e rápida para o visitante que está visitando ao parque e não sabe o tema.

A abertura de 2015, considerada uma das melhores pelos fãs, cumpre exatamente o papel de inserir o visitante dentro da história. Tem diversos momentos de clímax, danças e troca de energia com o público.

Efeitos

Já utilizados no Hopi Night 2018, o acréscimo de efeitos em um show de abertura podem ser aliados para causar o impacto no público. A Hora do Horror sempre foi carente em efeitos pirotécnicos e a adição deles para causar susto no público, como era feito nas Noites do Terror 2009 e 2010, podem tornar o show memorável.

Hopi Night 2018

Climatização

O evento desdobra-se nos túneis e nas ruas do parque após o show de abertura. Há monstros nas ruas de Wild West e Mistieri abordando todos os visitantes que passam pelas regiões. Efeitos de luz, fumaça e sonorização podem tornar as ruas como uma continuação dos túneis e espalhar o clima de horror pelo parque.

Em 2015, haviam os sons de sirene pelas duas regiões de acordo com o tema. Em 2017, a área de Wild West era bem escura, diferente dos demais anos, e em Mistieri — próximo ao Katakumb, haviam diversos efeitos de iluminação que ficaram incríveis!

Vai encarar ou vai ficar com medinho? Visite a Hora do Horror 2018

Nós já estamos ansiosos para a Hora do Horror 2018! O evento é um dos únicos em parques de diversões que resistem atualmente e nesse ano promete retomar com tudo aos seus tempos áureos. Prepare o coração e encare as criaturas do maior evento de horror da América Latina.

Maiores informações acesse o Facebook do Hopi Hari https://www.facebook.com/HopiHari

 

 

 

 

Divulgação / oguiadadiversao