Fotógrafo Anderson Macedo reúne artistas em manifesto


Um mergulho por novas possibilidades artísticas, em tempos de pandemia, sessões fotográficas se reinventam por meio de vídeochamadas

Fotógrafo Anderson Macedo reúne artistas em manifestoPublicado por Redação BR em 21 Maio, 2020 - 15:35 / Creditos Por Juliana Albuquerque / Fotos: Anderson Macedo

O mercado cultural tem se inovado frente a um dos cenários mais complexos dos últimos tempos. Se as Lives foram uma saída que muitos músicos encontraram para fazerem seus shows, agora é a vez dos fotógrafos se adaptarem ao cenário atual.

Foi dentro de um contexto de reclusão social que conhecemos a proposta do fotógrafo Anderson Macedo da técnica Web Shooting. O termo ainda em inglês já ganhou adeptos aqui pelo Brasil e Anderson que mantém seu estúdio no fechado viu no uma forma de produzir arte. Como explica: “A arte é plural e essencial à natureza humana. Amo o que faço e não aguentava mais ficar sem criar e trocar com as pessoas”, contou o fotógrafo sobre o surgimento do manifesto artístico.

Esse pulsar e sensibilidade artística levaram Anderson Macedo a convidar um time de 12 artistas e influenciadores, entre elas, atrizes, atores, modelos e amigos. Leonardo Miggiorin, Vincenzo Richy, , Thaíz Schmitt, Andressa Alves, Alex Trevelin, Gabriele Di Pierro, Rafael Cappellari, Camila Lima, Isabella Soledade, Victor Botene e Edson Moreton foram convidados.

Leonardo Miggiorin, ator conhecido nas telas, contou sobre a importância da iniciativa: “Foi um momento muito importante em que a gente se conectou e pode fazer o que a gente sabe fazer, arte, trabalhar com imagem, audiovisual foi muito gostoso”. Leonardo ainda recebeu o auxílio virtual de outro amigo, Flúor, que deu dicas sobre os looks do ator para o .

Muito além de se manter dentro de um contexto econômico, este novo m étodo consiste em preservar a arte em um momento que a humanidade tem anseio de ver o belo, mesmo dentro do caos. E engana-se quem pensa que com a tecnologia dos celulares o trabalho se torna mais fácil. O controle da luz é o grande desafio, “no estúdio é possível ter este controle, mas a distância instiga uma situação que é controlada pelo olhar sensitivo de enxergar além das lentes e da tela”, narra Anderson sobre o desafio de fotografar pela tela.

Por falar em luz, esse foi um dos comentários feitos pela atriz e modelo Thaíz Schmitt ao contar que até mesmo questões técnicas como a falta de luz podem servir para novas experiências. Afinal a luz natural é uma das aliadas no processo.

O fotógrafo explica que o Web Shotting não se preocupa muito com a qualidade da imagem, mas sim com o conceito do ensaio. Por isso, a conversa e criação do ensaio se estabelecem com antecedência. Nesse quesito criação, o ensaio realizado com o músico Victor Botene chamou a atenção pela utilização do elemento musical. O violino de Botene acabou entrando no jogo cênico e foi usado no ensaio, dando um tom diferenciado e realista para a sessão do músico.

A modelo Vivi Orth, ressalta, “nem mesmo a pandemia vai nos impedir de fazer o que gostamos”. Quem partilha da mesma opinião é a também modelo, Isabella Soledade, para ela esses ensaios são uma expressão de resistência e que a arte precisa se manter viva.

No manifesto proposto por Anderson Macedo está também Vincenzo Richy, o ator, também reforçou a necessidade de reinvenção para que a arte e a cultura se fortaleçam ainda mais. Entre os doze nomes que participaram essa parece ser a mensagem em uníssono; a capacidade de reinvenção e resistência da arte.

Pensando nisso, Anderson Macedo, promete que até o fim da quarentena continuará produzindo novos conteúdos por vídeochamadas, além de planejar um editorial exclusivo com essa ideia.

A arte parece mostrar mais uma vez seu caráter . Como bem pontou, Giorgio Agamben, filósofo , “contemporâneo é aquele que mantém fixo o olhar no seu tempo, para nele perceber não as luzes, mas o escuro”. Esse manifesto artístico parece revelar uma síntese do contemporâneo, que emerge neste tempo e causa transformação em uma fase tão perturbadora como essa que a cultura atravessa em todo mundo. Um manifesto que sugere um rompimento das fraturas do tempo e demonstra a fluidez na reinvenção da estrutura da fotografia. Até que tudo volte ao normal o encontro virtual parece ser mesmo uma saída interessante e muito bem-vinda a fotografia.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do EGOBrazil