Consumidores estampam campanha do novo Magnum Praliné no metrô de SP


Ao todo, mais de 13 mil fotos foram registradas e agora fazem parte da exposição “Prazer Indescritível”

Consumidores estampam campanha do novo Magnum Praliné no metrô de SPPublicado por Redação BR em 11 mar, 2020 - 16:47 / Creditos

Marcos Alberti, fotógrafo brasileiro responsável pelos projetos Wine Project – sucesso de público com mais de 1 bilhão de views – e The O Project, registrou, por seis dias a reação dos consumidores antes e depois da primeira mordida no novo Avelãs Caramelizadas. A campanha “Prazer Indescritível” foi lançada para divulgar o novo sabor da marca e resultou em uma exposição exclusiva que hoje está em exibição na Linha 4 – Amarela do Metrô de São Paulo.

“A marca sempre inspirou as pessoas a viverem momentos de prazer e com a campanha do novo Magnum Praliné estamos indo muito além. Capturar pessoas reais, que toparam ser retratadas em um momento de puro prazer e indulgência, participando dessa exposição é um grande convite para que todos se entreguem a momentos de prazer como esse sem culpa e sem medo de julgamentos”, explica Cristine Lu, gerente de marketing de Kibon.

No total, mais de 13.800 fotos foram registadas. Para a exposição, 67 painéis foram montados e agora ocupam diferentes espaços das estações Faria Lima, Pinheiros, Fradique Coutinho e Paulista do Metrô. Todas as imagens possuem um QR Code que direciona as pessoas para o app da Rappi e aplica, automaticamente, o código de desconto de R$10 para comprar o novo Magnum Praliné Avelãs Caramelizadas. “Como superaplicativo, o objetivo da Rappi é estar presente em todos os momentos da rotina dos nossos usuários e, por isso, decidimos fazer uma ativação com Magnum para refrescar o dia das pessoas enquanto se deslocam por São Paulo”, revela Raphael Daolio, head de brands da Rappi Brasil.

Todas as fotos retratam a expressão de prazer que os participantes sentiram ao experimentar o novo Magnum Praliné e podem ainda ser conferidas em painéis digitais das estações e em uma galeria virtual no site da campanha. “As pessoas que retratamos quase sempre estavam apressadas e muitas vezes estressadas, e foi muito bacana ver a transformação do antes e depois de provarem o Magnum Praliné. Era muito clara a mudança nas suas faces, com expressões super leves, divertidas e de puro prazer!”, ressalta Marcos Alberti, fotógrafo da campanha.

Quem não conseguiu participar da ativação ainda tem tempo de produzir o seu próprio antes e depois. A marca desenvolveu um filtro para as redes sociais disponível no site da exposição e no perfil @magnum do Instagram. A dinâmica de uso é muito simples: ao ter acesso ao filtro, a pessoa possui opções de trocar tanto o fundo, quanto a frase que tiver mais a ver com o seu perfil.

O site oficial para baixar o filtro e para quem participou da ação e quer guardar a foto é www.prazerindescritivel.com.br.

Sobre Magnum

Magnum é uma marca ícone mundial de sorvetes e também acredita em uma experiência de chocolate mais prazerosa e indulgente, por meio de seus ingredientes sofisticados e todo o cuidado envolvido em sua produção. Primeira a se posicionar no mercado voltado para o público adulto, a marca foi lançada pela Unilever em 1989, hoje está presente Europa, Ásia, América do Norte e América Latina, e é atualmente o sorvete mais vendido no mundo.

Sobre a Rappi

A Rappi é o primeiro superaplicativo da América Latina. A startup colombiana criada em 2015, chegou ao Brasil em julho de 2017 e já está presente em 30 cidades brasileiras. Por meio da plataforma é possível comprar produtos e serviços de diferentes categorias. Além disso, o aplicativo conta com uma carteira virtual, o RappiPay, onde é possível fazer transferências entre usuários e pagamentos em estabelecimentos parceiros. Em 2016, a Rappi foi acelerada pela Y Combinator, mais importante incubadora de startups do mundo, e, no ano passado, participou de duas rodadas de investimento e recebeu um montante de US$ 405 milhões, se tornando um unicórnio latino americano. Além do Brasil, a Rappi está presente na Colômbia, México, Argentina, Chile, Uruguai, Peru e Costa Rica.  

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do EGOBrazil