Bruno Rosa se torna referência na área de educação física


Aos 35 anos, especialista em Treinamento Desportivo, mestre em Gerenciamento Esportivo pela Lindenwood University, em Missouri nos EUA, instrutor de CrossFit, personal trainer e comentarista esportivo, o carioca é um dos pioneiros do treino funcional e de intensidade.

Bruno Rosa se torna referência na área de educação físicaPublicado por Redação BR em 15 Maio, 2020 - 22:12 / Creditos Nobre Assessoria

Foi por meio do Futebol Americano, um esporte não tão popular no Brasil e de R$ 200 reais emprestados, que surgiu o Treino Do Sapo (TDS), criado por Bruno Rosa, o “Sapo”, um treinamento físico baseado no futebol americano nas areias de praia do Rio de Janeiro. Na época, Bruno jogava no Red Lions, time de futebol americano de praia, e acabava de voltar dos EUA, onde havia feito mestrado. Foi aí que um companheiro de time o disse que treinos funcionais em praias estavam começando a popularizar e que ele deveria investir nisso já que seus treinos eram muito melhores do que ele via as pessoas fazendo.

“Cuidava da parte física do time e ele disse que meus treinos eram muito mais eficazes. Fiz uma pesquisa no Orkut (rede social popular na época) de jogadores, perguntando se eles pagariam por um serviço de preparação física exclusivo de Futebol Americano e alguns falaram que sim. Peguei R$ 200 emprestado com meus pais, comprei alguns materiais no Saara e em julho de 2010, fui para a praia com uma mochila, cones e bambolês e comecei do zero. Um jogador levou a namorada, que teve resultado, que falou para a amiga, que chamou outra e quando fui ver o treino tinha mais mulheres do que jogadores”, conta o carioca, especialista em Treinamento Desportivo, mestre em Gerenciamento Esportivo pela Lindenwood University, em Missouri nos EUA, instrutor de CrossFit.

Sapo relembra que o início do projeto não foi fácil: “Recentemente meu pai falou que não levava muita fé, que na primeira semana foi ver o que eu estava fazendo e eu estava com minha mochila na areia e ninguém treinando. Alguns anos depois ele se emocionou quando foi ver de novo um treino que fiz em conjunto com a Nike e tinham 200 pessoas no mesmo lugar. Fui um dos pioneiros na primeira moda do funcional nas praias do Rio e a pegada do treino intenso, de futebol americano, deu certo. Na época os chamados HIITs não eram tão falados, Crossfit não estava forte ainda, então o que vejo hoje, graças a pegada de atleta e meu tino natural como Profissional de Educação Física, eu já fazia”.

Bruno sempre demonstra sua gratidão ao Futebol Americano por tudo que conquistou e aprendeu. Durante 12 anos como atleta profissional de Futebol Americano, teve passagens pelo Flamengo, Vasco, Fluminense, Seleção Carioca e Seleção Brasileira e parou de jogar em 2016. “Acho que não seria o profissional que sou hoje sem ter sido atleta, ter feito treino físico, vivenciado o que estudo. Sendo atleta aprendi três coisas que levarei sempre para a minha vida: disciplina, rotina e estudo. Desde pequeno vivo/sou esporte e quando tive que decidir de verdade o que queria seguir, nunca me vi fazendo nada diferente disso”.

 

Preto, Profissional de Educação Física, anti-racista, anti-machista, treinador, ex-atleta, nerd e crossfiteiro

É desta maneira que Bruno se apresenta tanto em sua vida pessoal quanto profissional. Através de seus posts no Instagram, o carioca se posiciona abertamente sobre temas que muitos não teriam coragem de falar e se evidencia ainda mais por isso: “Um preto de Dread falando sobre artigos científicos já se destaca. Nunca sofri nenhum tipo de ofensa racial, mas certamente tive tratamentos diferentes por conta disso. Percebi que meu trabalho ficou muito mais eficiente e verdadeiro, a partir do momento que passei a me posicionar, estudar e ter opinião formada. O preconceito com o profissional de Educação Física já existe há tempos, pois pensam que a faculdade é só jogar bola e a pessoa ficar na academia passando 3×10.”

 

 

 

Além de tudo….

Comprovando sua inquietude em sempre estar se mantendo atualizado e aprendendo, Sapo também está trilhando seu percurso como comentarista esportivo. Com seus 12 anos de experiência como jogador profissional de Futebol Americano, sendo Campeão Brasileiro e até mesmo tendo jogado nos EUA, atualmente o carioca integra a equipe de comentaristas da Liga Brasileira de Futebol Americano. Bruno participa do programa TouchBack, um espaço de resenha de futebol americano onde conta a história de jogos com alguns personagens, além de comentar os jogos nos estádios. A programação é transmitida pelo Youtube e Instagram da Liga.

Bruno já passou também pelo Esporte Interativo e em 2019 participou do reality show ‘Desafios de Talentos’ na ESPN, que selecionava um comentarista fixo do canal, onde ficou em segundo lugar.

 

Bruno Rosa
 

Treino do Sapo e suas categorias

Completando em julho deste ano, 10 anos de história, o Treino do Sapo hoje se subdividiu em 5 categorias:

– TDS Funcional: O tradicional, funcional na praia, treinos para grupos

– TDS Weightlifting: é o levantamento de peso olímpico, me especializei na modalidade, inclusive já treinei uma campeã carioca e levei o esporte para dentro do TDS. Faço planilhas de treinos para pessoas que queiram melhoras na modalidade e para academia que queiram introduzir o esporte na grade de treinos.

– TDS Personal: é a forma de treino como o próprio nome diz, Personal Trainer, individualizada, pessoal.

– TDS Online: é a consultoria online do TDS, séries personalizadas de acordo com o objetivo de cada pessoa para serem feitas aonde a pessoa vai treinar, de acordo com o tempo que ela tem e o material disponível. Diferencia-se pelos treinos práticos, sem perda de tempo, além das aulas em grupo via Zoom.

– TDS 30 Dias: é o desafio de mudança de hábitos do TDS. 30 dias comendo de forma limpa e se exercitando de forma inteligente, onde eu e a profissional de nutrição informamos, fornecemos conteúdos e desafiamos os participantes a cumprirem tarefas que influenciem eles e aos próximos a uma vida mais saudável.

Mais informações sobre Bruno Rosa

www.instagram.com/brunorosa.sapo

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do EGOBrazil