Associação da Parada LGBTQ+ de Campinas repudia ato em Piracicaba


Ao se defender, Verona disse que não fez apologia ao racismo e comprou boneco de bebê negro “por ser o mais barato”

Associação da Parada LGBTQ+ de Campinas repudia ato em PiracicabaPublicado por Redação BR em 6 nov, 2019 - 14:18 - Divulgação

Uma drag queen, que atende pelo nome artístico Drag Verona, apresentou uma performance em que trajava uma vestimenta da Ku Klux Klan, organização criminosa racista que assassinou ativistas negros nos anos 50 nos Estados Unidos. Verona, ao fim da performance, mastigou a cabeça de um boneco, um bebê negro, e bebeu líquido vermelho que representava o sangue da criança.

A apresentação aconteceu na festa “A Paradinha – The Walking Drag”, em Piracicaba, estado de São Paulo, no dia 28 de outubro. A festa foi organizada pela ONG Casvi (Centro de Apoio e Solidariedade à Vida), que também promove a Parada do Orgulho LGBTI da cidade. A ONG se posicionou nesta terça-feira (5), nove dias após o ocorrido. As fotos foram publicadas na galeria do evento no Facebook e depois apagadas.

Drag diz que comprou bebê negro para a performance “por ser o mais barato”

As fotos da performance viralizaram na internet e as redes sociais da drag queen foram tomadas pela revolta das pessoas que se chocaram com a apresentação. “Você deve ser presa”, escreveu um rapaz. “Racista. Você envergonha a arte drag”, escreveu um jovem.

Verona usou o Facebook para se defender. Ao apresentar as explicações, ela pediu desculpas, alegou que não tinha a intenção de ser racista e disse que comprou o boneco negro “por ser o mais barato”.

“EU NÃO SOU RACISTA E NÃO FIZ APOLOGIA AO RACISMO!!! Eu pensei numa performance satanista, onde eu traria o apocalipse, através de várias coisas; governos (Bolsonaro), igrejas (Universal e demais aproveitadoras da fé cega), rituais e etc, porém fugiu do controle ao colocar o KKK. ERREI??? SIMMMMM!!! e me arrependo amargamente a cada segundo.O bebê foi algo impensado, nada a ver com a ideia acima, porque foi a boneca mais barata que encontrei no centro pra poder usar na performance… EU PEÇO PERDÃO A TODOS QUE OFENDI E DECEPCIONEI!!!”

Revolta nas redes sociais

A explicação de Verona não convenceu grande parte das pessoas que viram as fotos na rede. A explicação sobre o motivo da compra do boneco, além de não convencer, aumentou o sentimento de indignação de quem se chocou com as imagens.

Em nota publicada na rede social, a organização informou que a drag teve a apresentação na Parada cancelada “por não ter agido de acordo com os valores da instituição e do evento”.

Em nota oficial a Associação da Parada do Orgulho LGBTQ+ de Campinas repudiou:

Tomamos conhecimento de que no ultimo dia 26/10 aconteceu uma edição da Paradinha de Piracicaba. Uma das atrações do evento, uma drag campineira, teve a infeliz ideia de se apresentar usando looks com referências no movimento Ku Klux Kan, que é uma organização terrorista que surgiu nos Estados Unidos, no século XIX, e ficou marcada por ser a maior organização do tipo na história desse país. Ficou conhecida por utilizar uma roupa macabra e por promover atos de violência contra negros, judeus, católicos etc. Na sua performance a “tal artista” arranca a cabeça de um bebê NEGRO e bebe seu sangue. Teve também a Bíblia sendo rasgada para contemplar a performance!

Entendemos e apreciamos a arte como forma de expressão, mas repudiamos veementemente toda expressão de racismo e quaisquer outros tipos de preconceito que o “show” em questão apresentou e declaramos publicamente que esta pessoa não nos representa e aproveitamos para tornar público que jamais estará em nosso casting no futuro!!!

Associação da Parada e Apoio LGBT de Campinas