12 Escolas encerram a última noite do carnaval 2018 pelo Grupo de Acesso II



12 Escolas encerram a última noite do carnaval 2018 pelo Grupo de Acesso IIPublicado por Redação SP em 13 fev, 2018 - 16:00 -

Por Renato Cipriano

E a noite desta segunda-feira, 12 de fevereiro, ainda foi de muito carnaval no Sambódromo do Anhembi.

Desta vez foram as agremiações que anteriormente integravam a UESP – União das Escolas de Samba Paulistanas, e que a partir deste carnaval de 2018 todas elas migraram para a LIGA SP – Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, onde passaram a integrar o Grupo de Acesso II.

Alias nesta noite foi onde passou o maior número de agremiações, sendo ao total 12 escolas consecutivas, com 50 minutos de desfile para cada uma, que abrilhantaram e encantaram os sambistas de plantão.

A primeira a adentrar a Passarela do Samba às 20 horas, foi a Escola de Samba Uirapuru da Mooca, Presidida por Sidnei Aguilera, que levou o enredo de título “O suntuoso voo do Uirapuru pelos reinos das 3 deusas africanas”, desenvolvido pelo carnavalesco Babú Energia.

A seguir foi a vez da Escola de Samba Dom Bosco de Itaquera, presidida pelo querido Padre Rosalvino, que trouxe para o Sambódromo o enredo “Bem-aventurados os homens e mulheres de boa vontade…”, desenvolvido pelo carnavalesco Flávio Campello.

A terceira a desfilar foi a Escola de Samba Brinco da Marquesa que apresentou o enredo de título “A Marquesa e o Ouro Verde”, desenvolvido pelo Edinei Pedro Mariano.

Com uma grande homenagem ao saudoso grupo ‘Mamonas Assassinas’ da cidade de Guarulhos na grande São Paulo, que faleceram há mais de 20 anos em uma fatalidade de um acidente de avião, a quarta agremiação a desfilar foi a Escola de Samba Combinados de Sapopemba. Através do carnavalesco Léo Santos, a agremiação desenvolveu o enredo de nome “Mamonas: Um show de felicidade” e fez a alegria de todos que estavam presente no sambódromo.

Em seguida foi a vez da Escola de Samba Amizade Zona Leste, localizada no bairro de São Matheus, na zona leste da cidade, teve uma comissão de carnaval no desenvolvimento do enredo, que levou o título de “A Chave”.

A sexta escola a se apresentar, era muito esperada por todos os presente, era a escola do bairro do Grajaú, Estrela do Terceiro Milênio, que levou para a passarela do samba o enredo “Na força da Coruja. Deixe a lenda te guiar”, desenvolvido pelo carnavalesco Murilo Lobo.

Leia Também  Pabllo Vittar no camarote Itaipava no Rio de Janeiro

Já era madrugada da terça-feira (13), quando a próxima escola a desfilar, foi a Torcida Jovem Santista, sendo considerada a maior torcida organizada do time de futebol do Santos, que levou o enredo “O Corsário Elegante: O Terror dos Sete Mares”, desenvolvido pelo carnavalesco Pedro Pinotti, que acaba de retornar para a escola.

A seguir foi a vez da Unidos de Santa Bárbara, a agremiação do bairro do Itaim Paulista, na zona leste da capital paulistana, abrilhantou o sambódromo com o enredo “Pernambuco você é nosso! O baile dos 200 anos da revolução pernambucana o Carnaval do leão coroado Alceu Valença”, sendo este o décimo trabalho consecutivo desenvolvido pelo carnavalesco Anderson Paulino, dentro da mesma escola.

A nona escola de samba a desfilar nesta noite, foi a Camisa 12, ligada à Torcida Jovem Camisa 12 de futebol, apresentou o enredo “Camisa 12 exalta a luta e a consagração: São Jorge, o Santo das 3 religiões”, assinado pelo carnavalesco Gleuson Pinheiro.

A próxima agremiação a abrilhantar o Sambódromo, foi a Mocidade Unida da Mooca, que é presidida por Rafael Falanga, considerada uma das mais luxuosas da noite e que chamou a atenção de todos com a apresentação do enredo “A Santíssima Trindade de Oyó”, assinado pelo carnavalesco André Rodrigues.

A penúltima escola foi a tradicional Morro da Casa Verde que fez um bonito desfile com o enredo de título “A luta de um povo, a força de uma raça… Luiza Mahin, a luz de Daomé”, com a assinatura do carnavalesco Fábio Flish.

Leia Também  Musa da Mocidade participa do baile da Vogue

Fechando o desfile do Grupo de Acesso II e também encerrando o carnaval paulistano, a última escola a se apresentar, foi a Escola de Samba Tradição Albertinense, sediada no bairro de Vila Albertina na zona norte da capital paulista, bem aos pés da Serra da Cantareira, está estreando os trabalhos desenvolvido pelo carnavalesco Danilo Dantas e apresentou o enredo de título “Das Praças aos palcos a trupe Albertinense apresenta: As mil e uma faces do artista brasileiro.”

 

APURAÇÃO DO CARNAVAL

A apuração do carnaval paulistano, foi realizado na tarde desta terça-feira, dia 13 de fevereiro, com transmissão ao vivo pela fanpage pela LIGA SP e durante a leitura das notas do grupo, a adrenalina foi a mil, pois a escola Estrela do Terceiro Milênio esteve a frente durante todo o tempo no ranking de pontuação do campeonato, porém na nota do último quesito deu virada de jogo e a Mocidade Unida da Mooca, ou simplesmente MUM como é conhecida, levou o melhor da noite e conquistou a vaga de campeã do grupo, tendo direito ao ‘Up grade’ para o Grupo de Acesso no carnaval do ano que vem, fazendo assim a sua estreia pelo grupo tão almejado pelo presidente Falanga.

 

Mocidade Unida da Mooca Campeã do Grupo II - Foto: Renato Cipriano

Mocidade Unida da Mooca Campeã do Grupo de Acesso II – Foto: Renato Cipriano

 

Sem categoria