Com 18 faixas que misturam sucessos do Brasil e dos Estados Unidos, o projeto Legacy and Alchemy traz canções imortais em formatos repaginados e únicos

O projeto “Alexandra Jackson: Legacy and Alchemy”, lançado em abril desse ano, não poderia ter escolhido melhor data, já que 2018 é o 60º aniversário da Bossa Nova.

O compositor e cantor brasileiro Ivan Lins descreve as composições brasileiras como “música total”, uma mistura de jazz, “brasilidade”, etnia, instrumentalidade e voz, enfim, completamente moderna.

Em outras palavras, ela tem a capacidade de agrupar “muitos mundos”.

Sendo assim, nesse ano especial para a Bossa Nova, o CEO da Legacy and Alchemy, Robert Hebert, inspirou-se em homenagear o grande legado da música brasileira e celebrar seu lugar no mundo.

A mistura de musicalidade no Legacy and Alchemy

Esse espírito de “totalidade” é a essência do CD duplo “Alexandra Jackson: Legacy & Alchemy”, que contem 18 faixas. O projeto inédito e de colaboração brasileiro-americana foi idealizado e produzido por Hebert com o co-produção de Larry Williams.

Desse modo, traz a herança da música brasileira e suas lendas com a voz singular e aveludada da cantora Alexandra Jackson. Assim, o álbum apresenta canções exclusivas com renomados artistas americanos, como Miles Davis e Al Jarreau, Rod Temperton.

Também estão no projeto nomes ilustres do País, entre eles Antonio Carlos Jobim, Oscar Castro-Neves, Dona Ivone Lara, Ivan Lins, Carlinhos Brown, Banda Black Rio, Leis de Hubert, Siedah Garrett, Daniel e Paulo Jobim. Earth, Wind & Fire, Larry Dunn, Al McKay e uma variedade de músicos colaboram nessa mescla de miscigenação harmônica entre brasileiros e norte-americanos.

E tudo com a liderança vocal de Alexandra, resultando em um trabalho que documenta as riquezas musicais do Brasil e dos Estados Unidos.  Hebert escolheu as faixas de forma minuciosa, ressaltando grandes canções que não tinham exposição à altura do seu merecimento.

LEIA TAMBEM  RM News com Rodrigo Menezes esta voltando a todo vapor

“Os níveis mais altos da música brasileira e do jazz americano sempre repercutiram, entretanto, criamos uma alquimia inusitada dessas músicas com o objetivo de perpetuá-las”, conta Robert.

A criação do projeto e sua trajetória de sucesso 

Foram três anos de gravações em diversas cidades dos Estados Unidos e no Rio de Janeiro, contando com a participação de mais de 150 artistas. Inegavelmente, “Alexandra Jackson: Legacy & Alchemy” já está conquistando seu público. Tanto que a composição “All One” está no “Top 30” na Billboard Smooth Jazz Chart. “Sonho Meu”, de Dona Ivone Lara, “Corcovado”, de Tom Jobim, assim como “Anjo de Mim”, de Ivan Lins, também estão no álbum.

Atualmente, a doce voz de Alexandre está em 150 estações de rádio no mundo, além do registro de cinco canções do projeto apresentados em canais Sirius XM, incluindo Latin Jazz, Beyond Jazz, Fusion e Friday Fusion.

“Há uma razão pela qual a música brasileira ressoa em todo o mundo: sua musicalidade, a influência do samba e a elegância irônica da Bossa Nova transitam entre os sentimentos humanos e a sofisticação”, opina Hebert.

Segundo o diretor do projeto, a ideia é reintroduzir esse grande legado de ele onde parou, por volta dos anos 1960, em que o estilo popular ganhou mais forças. “Afinal de contas,  requinte da boa música jamais pode ser perdido”, finaliza.

Serviço: Legacy and Alchemy – www.legacyandalchemy.com

 

+ VEJA TAMBÉM: Homenagem aos Mamonas Assassinas emociona participantes de gravação do novo clipe do Mc Gui 

 

Siga o EGOBrazil:  http://instagram.com/egobrazil