30/06/2018

Com R$ 200 por mês, torcedor pode ver a Copa de 2022 no Catar

Com R$ 200 por mês, torcedor pode ver a Copa de 2022 no Catar

Estudo do GuiaBolso mostra que o torcedor que quiser ver o próximo Mundial ao vivo teria de investir pelo menos esse valor pelos próximos 4 anos e 5 meses

Os apaixonados por futebol, que hoje torcem pela seleção brasileira em casa, diante da TV, podem sonhar com outro cenário em 2022, em que veriam os jogos ao vivo nos estádios do Catar, conferindo a atuação dos nossos craques e dos melhores jogadores do mundo.

A receita não é tão complicada como se pode imaginar: estabelecer o projeto como uma meta clara, um objetivo; em seguida, começar a mudar hábitos de consumo e de poupança — o que vai muito além de simplesmente cortar gastos. E, a esses ingredientes, juntar muita vontade, planejamento e disciplina.

Segundo estudo do aplicativo de finanças pessoais GuiaBolso, para conquistar tal objetivo, o torcedor teria de investir a partir de R$ 200 por mês pelos próximos 4 anos e 5 meses, além de estar disposto a pesquisar bastante, de programas e passeios por lá até ofertas e melhores preços de produtos e serviços.

As projeções feitas pela equipe do aplicativo levam em conta um pacote para uma pessoa, incluindo passagem aérea entre São Paulo e o Catar, hospedagem de duas semanas e meia em Dubai, deslocamentos pelo país, ingressos para os jogos da primeira fase e oitavas de final, alimentação e verba extra para compras e turismo.

Estudo traçou um perfil mais econômico e outro mais sofisticado

Foram traçados dois perfis de turistas, batizados de “Estreantes” e “Campeão do Mundo”, e previstos sete degraus, entre a decisão de ir a Copa no país do Oriente Médio em 2022 e sua concretização. O primeiro grupo seria o de pessoas que recorrem aos preços mais baixos, visando custo final que impacte o menos possível o orçamento. O segundo, dos que priorizam não o preço menor, mas o conforto.

Projeção considera margem para possíveis oscilações do dólar

No cenário mais econômico, o custo final totalizaria hoje perto de R$ 11.700, valor já incluindo uma margem de 10% para possíveis oscilações do dólar e elevação dos preços por conta da maior procura pelo Catar em função da Copa. O estudo fixou o dólar em R$ 3,90, valor da moeda no momento do cálculo, e considera o período de viagem entre os dias 19 de novembro e 9 de dezembro de 2022.

Opção mais em conta: R$ 11,7 mil, incluindo economia com ingressos, transporte e alimentação

A opção mais em conta incluiria voo com escala, mais barato; hospedagem econômica em hotel 3 estrelas; alimentação mais simples, com alternativas como lanches e petiscos; entradas para os jogos em setores mais acessíveis; ida ao teatro e visita aos museus gratuitos e gastos de dia a dia limitados, além de uso de transporte público para deslocamentos.

Alternativa mais confortável exigiria hoje gastos de R$ 33,3 mil

Para os que têm situação financeira um pouco melhor, e podem optar pelo pacote “Campeões do Mundo”, o investimento subiria para R$ 33.384, com direito a assistir a abertura da Copa, três jogos na primeira fase e uma disputa de oitavas de final. Todas as partidas dos melhores lugares do estádio, e ainda incluindo US$ 100 por dia para compras, um safári pelo deserto, entradas no teatro, compra de bebidas em “pubs” e estadia em hotel 5 estrelas.

Investimento mensal entre R$ 200 e R$ 500

Para acumular os R$ 11.700, os interessados precisam dispor de pouco mais de R$ 221 por mês, valor que diminui caso a pessoa aplique o recurso economizado. O que fará a diferença, destaca o estudo, é a escolha da aplicação e a disciplina para dispor do dinheiro todo o mês, ao longo de todo o período previsto. Se investir a economia, o ‘Estreante’ deve dispor mensalmente de R$ 200 para acumular a quantia necessária. Perdido? Saiba como escolher o melhor fundo de investimento para você 

O investimento escolhido nem precisa ser a caderneta de poupança, que dá uma rentabilidade média próxima a 0,5% a cada 30 dias, sendo suficiente um rendimento líquido (já descontando impostos e tarifas) de 0,45% ao mês para alcançar o objetivo e, ao final de 4 anos e 5 meses, chegar a um valor de R$ 11.994.

Na opção mais sofisticada, para não desembolsar o valor de uma única vez, o interessado precisa dispor de R$ 630 por mês. Se investir, pode aplicar R$ 500 mensais em uma opção que propicie 0,9% de rentabilidade, para conseguir acumular R$ 34.070 ao final de 53 meses.

Mudança de hábito é fundamental para o sucesso do planejamento

Thiago Alvarez, presidente do GuiaBolso, explica que o principal ponto de atenção para que o planejamento tenha efeito é mudar o hábito, pois só cortar os gastos pode ser uma atitude não duradoura caso a pessoa não tenha um foco muito claro e um novo estilo de vida. “O foco, o objetivo, a pessoa já tem: ir para a próxima Copa”, destaca. “Alguns hábitos que podem ser repensados no presente são a maneira como ela poupa”, orienta. Alvarez enfatiza que é mais efetivo, por exemplo, estabelecer uma meta de economia mensal, e já investi-la assim que receber o salário, do que esperar o fim do mês para verificar quanto sobra na conta.

Organização dos gastos e receitas, e disciplina para aplicação dos recursos

Outro hábito que pode ser mudado, segundo ele, é a maneira como a pessoa acompanha as finanças. “Apesar de todo o avanço de cobertura de educação financeira nos últimos anos, e do desenvolvimento de novos produtos de investimentos, poucos brasileiros têm uma planilha financeira e menos ainda investem”, completa.

De olho nos prazos e na liquidez dos investimentos

Em relação às opções de aplicação, Alvarez lembra que como o prazo da aplicação é relativamente longo, quatro anos e meio, o ideal é que parte do dinheiro seja investido em algo que tenha o prazo de saque entre 3 anos e 3 anos e meio.

“Um ano antes da Copa, a pessoa já deve começar a fazer as compras de passagem, hotel, ingressos, entre outras coisas”, ressalta. Por conta disso, precisará de liquidez, de ter algum dinheiro para arcar com estas despesas.

Outra parte do dinheiro deve ser aplicada no prazo de 4 anos, para casar com o período da viagem. É o dinheiro que a pessoa pretende usar de fato no transporte local e passeios. “Algumas opções de investimento são os CDBs de bancos médios, que costumam ter uma rentabilidade acima de 100% do CDI; títulos públicos ou mesmo fundos que sejam bem selecionados, mas que precisam ter baixa taxa de administração”, sugere o executivo do GuiaBolso.

Confira os sete degraus entre início do planejamento e a concretização da viagem rumo à Copa Catar 2022:

1) Voo

Pesquise sempre nos sites que comparam preços de voos. Visite-os diariamente. Faça simulações e lembre-se: comprar com antecedência pode render uma economia significativa. O programa de milhagem do cartão de crédito também pode ser uma boa alternativa. Os custos atuais são: R$ 4. 879 por pessoa (já com taxas incluídas) para uma viagem de 25 horas e 34 minutos, com uma parada na ida e 27 horas e 55 minutos e 2 paradas na volta;

O voo direto teve valor mais em conta em R$ 7.123 para um deslocamento de 15 horas na ida e 16 horas na volta.

2) Hospedagem

Aqui também a persistência e a pesquisa são facilitadas com os sites de comparação. Vale a pena ficar atento a depoimentos de usuários para não ser pego de surpresa; e também reunir informações e referências do hotel, mesmo sendo 5 estrelas.
Hotel 3 estrelas: R$ 2.679 para 19 dias de estadia. Hotel 5 estrelas bem recomendado: R$ 7.880 por pessoa para 19 diárias.

3) Alimentação e Bebida

Fazer compras em supermercados é um grande aliado. Falando de Dubai, a mesma cerveja local de 500 ml pode ser vendida R$ 10 mais barato nos grandes estabelecimentos. Hoje a bebida é comercializada pelo equivalente a R$ 31 no supermercado. A mesma lógica vale para outros alimentos;

Combo formado por muitos lanches e petiscos e somente algumas refeições regulares e duas em bons restaurantes, sairia hoje por R$ 980. Opção com quase todas as refeições regulares, algumas mais requintadas, e poucos lanches, sairia por R$ 2.836.

4) Ingressos

É importante não perder o período de venda oficial da Fifa para compra das entradas pelos preços tabelados. Os estádios são divididos em setores com preços melhores para pontos não tão próximos dos jogadores. As Fan Fests oferecem telões e evitam a compra das entradas por preços mais altos com os cambistas;

Soma de 2 ingressos para a primeira fase, exceto a partida de abertura, e um jogo das oitavas de final no setor mais barato do estádio: R$ 1.267,50;

Para a partida de abertura, 3 jogos da primeira fase, de preferência do Brasil, e um das oitavas de final no setor mais caro do estádio e de melhor visualização sairia por R$ 5.557,50.

5) Lazer

Os museus no Catar não costumam cobrar entradas, exceção feita ao do Sheik Faisal. Parques também podem ser alternativas e cenário para fotos bonitas em troca somente dos gastos para se deslocar até lá. Ida aos museus sem custo, aos parques, fan fests e uma entrada de teatro e safári pelo deserto em metade do dia estão custando perto de R$ 400. Ida aos museus, ao safári pelo deserto ao longo do dia, entradas de cinema, teatro e idas a pubs e festas: R$ 4.500.

6) Compras

É interessante tentar projetar um valor máximo a ser consumido por dia ou um teto de gastos para a viagem inteira, prática que costuma evitar extravagâncias, investimentos desnecessários ou contenção de gastos exagerada;
Pacote ‘Estreantes’ : Valor fechado de R$ 1 mil na viagem;
Pacote ‘Campeão do Mundo’: US$ 100/dia, totalizando R$ 7.410 nos 19 dias de permanência.

7) Deslocamento

O Catar ainda investe na massificação dos transportes públicos e tende a cumprir o objetivo até 2022. Atualmente o destaque fica por conta do litro da gasolina, em média 49 centavos de dólar. Pacote de menor preço: 2 corridas de táxi, com até 8 quilômetros e uso do tíquete de transporte público mensal: R$ 347,10;

Pacote ‘Campeão do Mundo’: uso de táxi, aplicativos de deslocamento e de transporte público por R$ 912,60.

 

Fonte: Exame / Fotos: Leonardo Benassatto/Reuters