Ginecologista e obstetra, Dra. Maria Cecília Erthal, explicou como as técnicas de reprodução humana podem ajudar a mulher moderna a decidir o melhor momento para ter filhos

A programação especial da Semana da mulher no Shopping Rio Design Barra teve início no dia 06/03 com foco em saúde, beleza e bem-estar. Uma série de palestras e painéis com especialistas sobre temas como longevidade, nutrição, planejamento familiar, gravidez e vida moderna marcou a abertura do evento. A Dra. Maria Cecília Erthal, especialista em Reprodução Humana e diretora-médica do Vida-Centro de Fertilidade falou sobre planejamento familiar. A médica destacou o fato da mulher moderna ocupar cada vez mais espaço no mercado de trabalho e contribuir decisivamente no orçamento da família. Uma situação que, segundo ela, permite que o momento para ter filhos seja planejado e postergado. “Recentemente, li uma reportagem que falava de um estudo feito na Inglaterra sobre as mulheres estarem congelando seus óvulos por causa da falta de homem no mundo. A meu ver houve uma conclusão equivocada sobre a pesquisa. O que está ocorrendo é que a mulher está escolhendo melhor seu parceiro de vida para construir uma família”, explica a médica.

A dra. Maria Cecília destaca, no entanto, que devido ao peso da idade na fertilidade, a mulher começou a se preocupar com o relógio biológico, e a dúvida entre investir na carreira ou ter filhos virou uma questão a ser considerada. “Ficou claro para todos, médicos e pacientes, que a partir dos 35 anos a quantidade e a qualidade dos óvulos ficam comprometidas. Diferentemente do homem, a mulher não tem formação de novos gametas – óvulos -, ela já nasce com seu estoque, que vai sendo consumido ao longo da vida. Além disso, o envelhecimento diminui a quantidade de óvulos geneticamente normais, sobrando para o fim da vida reprodutiva óvulos de má qualidade genética”, esclarece a especialista.

A médica destaca que desde 2012, quando as sociedades americana e europeia de reprodução assistida, deram o aval para o procedimento de congelamento de óvulos (que deixou de ser considerado experimental e se tornou parte importante do arsenal de terapias para preservação da fertilidade), as mulheres passaram a contar com mais essa ferramenta para ajudar na tomada de decisões sobre suas vidas e suas escolhas. “A mulher está congelando os óvulos para poder seguir em frente sem ficar dividida. Ela quer escolher seu parceiro e quer escolher o melhor momento para engravidar. Simples assim!”, conclui a especialista.

Maria Cecília Erthal é ginecologista e obstetra, especialista em reprodução humana assistida, diretora-médica do Vida-Centro de Fertilidade e Delegada Regional da Seção Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana.

Sobre o Vida – Centro de Fertilidade | www.vidafertil.com.br 

Certificado pela Rede Latinoamericana de Reprodução Assistida. As instalações modernas, com equipamentos de última geração, ocupam uma área de mais de 600 metros quadrados no edifício MD.X Barra Medical Center, na Barra da Tijuca e conta com consultórios em mais 7 bairros: Copacabana, Ipanema, Centro, Tijuca, Méier, Madureira e Campo Grande. É dirigido pelos ginecologistas e obstetras Maria Cecília Erthal e Paulo Gallo, especialistas em Reprodução Humana Assistida que ajudam casais inférteis há mais de 20 anos e têm extensa experiência em patologias que prejudicam a fertilidade. A equipe de especialistas conta ainda com ginecologistas, embriologistas, biomédicos, urologistas, um anestesista e uma nutricionista.  

Fotos: Rogy Fidalgo / Creditos: AgeImagem