Praça Miguel Couto, em Nova Iguaçu, recebeu a caravana do EncontrArte com variadas atrações gratuitas.

Ao longo de 11 dias, o município de Nova Iguaçu recebeu o principal festival de teatro da Baixada Fluminense e um dos mais respeitados em todo país, que este ano trouxe 17 espetáculos, sendo 10 adultos e 7 infantis. Todos apresentados gratuitamente no Sesc Nova Iguaçu e Espaço Cultural Sylvio Monteiro, no centro da cidade. A grande homenageada desta edição foi a atriz Andréa Beltrão, que abriu o festival com o monólogo Antígona. Cesário Gandhi, ator e produtor local, também foi agraciado com o troféu EncontrArte pelo seu trabalho desenvolvido na Baixada Fluminense.

Com o patrocínio da Petrobras, por meio das leis de incentivo do Brasil, do Governo do Rio de Janeiro e da Secretaria de Estado de Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, o EncontrArte, que também contou também com a parceria do Sesc e da Prefeitura de Nova Iguaçu.

No encerramento do evento, domingo (8), houve uma maratona de amor às crianças e às famílias. O “Dia de Fazer o Bem” trouxe uma programação com atrações diversificadas de arte (Teatro, aula de zumba, cortejo de palhaços, recreação, cidadania, oficinas, exibição do filme “As aventuras do pequeno Colombo” – Caminhão da Globo –  entre outros) na Praça do DPO em Miguel Couto, entre 9 e 13h. Com a ajuda de voluntários, do Bispo Anderson Marques do Ministério Vida, que deu franco apoio ao evento, e de empresários locais que doaram lanches (Bob’s e a Picanha do Delei) e brinquedos, foi possível proporcionar um dia de muitas alegrias às crianças da cidade. A distribuição de brinquedos, arrecadados durante o festival, foi um presente especial em comemoração ao dia das crianças. 

“Ganhei uma boneca da Barbie, muito linda”, comemorava a moradora local Ana Lucia de 4 anos que estava acompanhada dos pais.

– É muito gratificante poder levar arte e educação de graça para uma região que ainda é muito carente e com pouca visibilidade. É uma honra reunirmos uma programação com espetáculos diversos de nosso Brasil. – dizem Claudina Oliveira e Tiago Costa diretores do festival. 

– A arte além de tudo é um oficio e como tal deve ser reconhecido e remunerado. Não podemos  esquecer jamais disso, senão perdemos totalmente a razão da nossa luta por melhores condições de trabalho, diz Fábio Mateus, um dos diretores do EncontrArte.

Em 16 edições, o EncontrArte já apresentou 264 espetáculos, além de 31 oficinas, dez seminários e reuniu mais de 100 coletivos da Baixada Fluminense em apresentação de espetáculos, cortejos e performances artísticas. Cerca de 200 mil pessoas já passaram pelo evento desde então, que já prestou 19 homenagens a artistas nacionais e 17 a artistas regionais.

Assessoria de Imprensa    

Minas de Ideias Comunicação Integrada