Eliana, do SBT, deu à luz Manuela neste domingo, em São Paulo. Fruto do relacionamento com o diretor de televisão Adriano Ricco, a pequena passa bem e está com a mãe no quarto do hospital. A gravidez da apresentadora, de 43 anos, foi marcada por um susto: a placenta descolou, e Eliana precisou tirar licença da TV e ficar internada sob cuidados médicos.

“Mãe e filha estão bem, graças a Deus”, confirmou a assessora da Eliana.

Às vésperas do parto, a estrela da TV já havia relatado a ansiedade de receber Manu, como carinhosamente chama a filha.

“Já somos tão íntimas e ainda nem nos conhecemos. Que nosso encontro seja mágico e abençoado minha filha”, escreveu no Instagram.

A apresentadora já é mãe de Arthur, de 6 anos, filho da relação com João Marcelo Bôscoli.

Nos últimos meses, a apresentadora viveu momentos de angústia devido à gestação delicada que a afastou da TV. “Final feliz!”, celebrou um amigo da apresentadora, Thiago Pasqualotto, nas redes sociais. No entanto, essa não é a primeira gestação complicada da loira. Capa da revista “Contigo”, ela revela que sofreu um aborto espontâneo no ano passado.

“Essa gravidez foi muito desejada desde sempre. O Adriano ainda não era pai e eu, muito feliz por já ser mãe, sabia que se fosse para ter mais um, deveria ser logo, pois já tinha cruzado a linha dos 40. Então, no ano passado, conversamos, planejamos, engravidei e comemoramos muito. A alegria, porém, acabou no segundo mês. No início de novembro tive um aborto espontâneo. Além da família e dos muito íntimos, ninguém soube nem da euforia e nem da tristeza que vivemos; do desabar dos sonhos. Aliás, pouco se fala da dor e do luto de uma gravidez interrompida. A mulher ou o casal vive isso no silêncio, no choro contido”, contou Eliana, que dois dias após a curetagem já estava no palco, no comando do Teleton.

Em março deste ano, com apenas 11 semanas de gestação, Eliana passou por uma cirurgia. Por ter o colo do útero curto, foi necessário fazer uma cerclagem (para garantir a sustentação do bebê no ventre). A cirurgia por meio de uma técnica robótica, menos invasiva, durou quatro horas.

“Sofri com a recuperação, mas só pensava na bebê. Deu tudo certo. A Manuela foi uma guerreira”, destacou a apresentadora.

Divulgacao