Com o crescimento exponencial das mulheres no atual cenário artístico brasileiro, onde muitas delas desempenham a multifuncionalidade de tarefas, cuidando de suas famílias e em paralelo, ainda trilham – com sucesso – seus caminhos musicais, podemos destacar a cantora e compositora Elizeth Rosa, neta de imigrantes italianos, nascida e criada no tradicional bairro do Bixiga e também integrante da ala de compositores da Escola de Samba Vai-Vai, agremiação detentora do maior número de títulos do Carnaval de São Paulo e que se tornou uma das grandes intérpretes da música paulistana, tendo vencido ainda um concurso de samba de quadra disputado junto a consagrados nomes da cena musical de São Paulo.

Elizeth Rosa

Dotada de voz marcante temperada com momentos de ternura vindos do coração entremeados com a generosidade altissonante dos sambas de exaltação, Elizeth Rosa, traz em sua bagagem profissional, a trajetória ímpar das grandes cantoras, tendo gravado com nomes consagrados como o “showman” Wilson Simonal e com Lecy Brandão, uma das maiores intérpretes da música popular brasileira.

Reconhecida pelo público por sua requintada presença de palco, participou da gravação do CD intitulado “Recado aos Bambas”, onde constam três músicas de sua autoria, sendo que em 1993, gravou seu primeiro trabalho solo denominado “Nos Braços do Amor” pela gravadora JWC.

“Ilumina”, a materialização de um sonho em forma de CD

E no próximo dia 07 de agosto, terça-feira, a partir das 20:30 horas, no Bar Brahma Centro (Av. São João, 677), a cantora Elizeth Rosa lançará o seu novo trabalho, o CD “Ilumina”, contendo músicas de sua autoria e outros compositores, exaltando o respeito e a galhardia com a Velha Guarda do Samba. Dotada de um timbre vocal raro e afinação perfeita, Elizeth Rosa, resume em poucas palavras o que entende desta nobre arte: “Cantar e compor são Dádivas de Deus!”.

“Posso garantir, adianta-nos Elizeth, que “Ilumina” é a declaração de amor que faço à Vida, que, generosamente, colocou em minha caminhada musical, maravilhosos poetas e lugares incríveis que me inspiraram soberbamente na criação de minhas canções.

Agradeço diariamente, prossegue orgulhosa, ao Mestre Osvaldinho da Cuíca, que me ensinou o “bê-á-bá” do samba paulista, à Velha Guarda Musical da qual faço parte, aos batuqueiros de Pirapora com seu samba de roda e a participação histórica de Ângela Maria, para mim, a maior intérprete da Música Popular Brasileira”, finaliza.

Fonte: Assessoria de Imprensa Maurício Coutinho 

 

Siga o EGOBrazil:  http://instagram.com/egobrazil 

Siga o Editor:  http://instagram.com/renatocipriano

 

 

.