O cantor e compositor Santino promete surpreender com o primeiro clipe da sua carreira solo. O vídeo da música autoral “Esqueminha” foi lançado na última sexta, 01, e conta com criação, roteiro e direção de Bruno Rubim, além da fotografia de Thiago Machado, da Birosca Filmes. A gravação foi realizada no estúdio 188, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, inovando totalmente pela escolha do vídeo no formato 9;16 (vertical), o que já está se tonando uma tendência no exterior. Aqui no Brasil, a cantora Anitta foi a primeira lançar, no último dia 20, na canção “Downtown”, dueto com o colombiano J. Balvin

“Com a chegada da tecnologia, queríamos fugir do tradicional e gravar os nossos vídeos num formato mais voltado para o celular, onde a maioria acessa, e o vertical já era uma moda na publicidade. Como o Santino também não queria nada convencional e tinha muita ideia de direção de arte. Vimos que a música tinha tudo a ver com a nossa proposta e optamos por esse caminho. Digo que é um trabalho moderno com referência estética do passado, um pouco vintage, anos 80. A ansiedade é enorme de saber como o público vai receber esse trabalho”, diz Bruno Rubim.

Santino, aposta também na força da canção para conquistar o público “A força da música gera identificação e com o clipe num modo ideal para tablets e celular, tenho certeza de que fará bastante sucesso com a nossa geração cada vez mais ativa nessas plataformas e na internet. Assim que eles me apresentaram esse conceito, não tive dúvidas em aceitar.”, afirma o cantor, que na gravação contou com a participação da dançarina Raquel Polistchuck.

Natural de Niterói, município do Rio, Santino se define como um cantor pop, mas que transita por diversas sonoridades – como rap e funk melody – e as transpõe para a sua identidade. O interesse pela música começou na infância. Cresceu com os pais ouvindo os ‘velhos’ vinis de samba e, aos 11, já começou a escrever e cantar. Em 2001, montou a sua primeira banda, “Shape novo, vida nova”, um rock com músicas próprias e mais sociais. Participou e ganhou alguns festivais, e, desde então, não parou mais. Depois disso, foi vocalista do grupo “Tio-R”, com o qual gravou um CD. Há quatro anos, deu início à carreira solo. O lançamento do projeto foi sucesso de público e aconteceu no ‘Bem Dito Steak Burgers’, em São Francisco, na sua cidade natal. De lá pra cá, gravou cinco singles, entre eles, “Eu tô” e “Nossa história”, que ficaram entre as mais tocadas nas rádios do Rio de Janeiro e interior, segundo a Crowley Broadcast Analysis, especializada em gravação e monitoramento.

GMP Assessoria de Imprensa