Adolescente com Déficit de Atenção inspira o Pai a montar a 1º Escola do Brasil para TDAH | EGO Brazil
15/06/2018

Adolescente com Déficit de Atenção inspira o Pai a montar a 1º Escola do Brasil para TDAH

Adolescente com Déficit de Atenção inspira o Pai a montar a 1º Escola do Brasil para TDAH

Quem diria que pós ser diagnosticada com TDAH e sofrer bullying dos colegas em sala de aula por ser personagem do Programa Super Nany na América Latina, Vitória Frozi iria transformar um problema familiar em um insight para fazer o pai montar a  1º escola do Brasil bilingue que também atende alunos com TDAH e tem a função de treinar as funções cerebrais como a concentração, memória de curto prazo, velocidade de processamento e a retenção de informação.

Ela e os irmãos com apoio do pai e toda equipe pedagógica,  treinam gratuitamente professores da rede pública de ensino para conviverem melhor com os alunos que apresentam os sintomas.

Com baixo rendimento escolar da Vitória, a família procurou por diversas instituições de ensino, inclusive fora do país, mas nenhuma tinha um método destinado aos alunos com o deficit de atenção.

Foi daí que identificaram  a carência do mercado e vislumbraram uma oportunidade de negócio. A familia construiu o prédio, implementou com computadores de última geração, professores qualificados, fez parceria com escolas internacionais,  além da instalação da cafeteria Califórnia Coffee para atender os estudantes. O espaço se tornou o roteiro certo para os amantes de café pós  ser cenário de várias novelas e entrar nos guias da cidade como o mais novo point descolado.

Números sobre déficit de atenção:
Cerca de 5% das crianças e adolescentes brasileiros tem TDAH, mas aproximadamente 250 mil delas não sabem que sofrem os efeitos do transtorno.

Outro estudo feito pela Associação Brasileira de Psiquiatria revela ainda que menos de 20% das pessoas com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) são tratadas no Brasil.

A falta de assistência custa aos cofres públicos mais de R$ 1,8 bilhão por ano, consequência dos gastos com a repetência escolar.

Já para o Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, nos últimos 10 anos, a importação e produção de Ritalina, medicamentos indicados para tratamento de déficit de atenção, cresceu 373% no País, o que impulsionou um aumento de 775% no consumo da droga.

 

Déficit de atenção pode levar à depressão e ao suicídio
Pesquisadores da Universidade de Chicago e da Universidade de Pittsburgh constataram que crianças com idade entre 4 e 6 anos que tiveram transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) apresentaram um índice dez vezes maior de depressão na adolescência quando comparadas àquelas que passaram por essa fase sem o distúrbio.

Sugestões de Entrevistados:

Vitória Frozi:
A adolescente ruiva, hoje usa a música como ferramenta de concentração. Ela toca  nas ruas do Rio de Janeiro o instrumento havaiano ukulele. No repertório tem  músicas em inglês, francês e tem levado a música brasileria para o exterior.

 

Sobre a Recreio School:
É referência internacional por criar método de ensino que treina as funções cerebrais como a concentração, memória de curto prazo e velocidade de processamento, além de prepará-los para as universidades internacionais. A instituição atende alunos do 6º ao 3o ano do Ensino Médio.

Fonte: 
Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).
Abda – Associação brasileira de déficit de atenção

istanbul escort